Banco Itaú na Rocinha é a prova viva da diferença com a favela

Mais um começo de mês, dias de receber e realizar pagamentos. Algo comum na rotina de todo trabalhador, menos na Rocinha. A agencia 6139 do banco Itaú na Rocinha deixa claro a ineficácia e descaso do banco com os moradores de comunidade.

Enquanto as agências nos bairros adjacentes, localizadas no shopping da Gávea e Fashion Mall, esbanjam conforto e modernização,  a agência Rocinha esbanja falta de respeito e indiferença com a favela.

Aqui não se respeitam os tempos máximos de espera estabelecidos por lei. Mais de duas horas para um atendimento. Muito mais que isso: nessa agência não se respeita o ser humano. Os moradores são obrigados a enfrentar filas imensas no meio da rua, embaixo de sol e chuva. Na fila se misturam mulheres e homens com crianças de colo e idosos. A agência que tem um tamanho ridículo se comparado ao número de atendimento se localiza no Boiadeiro, e substituiu o antigo banco Banerj, possui somente 2 caixas eletrônicos, 2 atendentes no caixa e 1 gerente. Aqui passam por dia centenas de moradores, inclusive os beneficiários e aposentados do INSS. 

Acompanhei entre meio-dia e 14h o atendimento dentro da agência. A insatisfação é geral. Todos os moradores reclamam da demora e do desconforto por terem que esperar na rua para serem atendidos. Moradores reclamaram que um banco que foi o primeiro instalado na Rocinha nos anos 80 não poderia tratar com tanto descaso essa comunidade. Por volta de 12h30, um caixa saiu para almoçar, o que deixou apenas 1 caixa para uma fila de cerca de 50 pessoas. Um verdadeiro absurdo!

A agência está infringindo a LEI Nº 5.254, DE 25 DE MARÇO DE 2011 (Lei da Fila do Banco) que determina tempo máximo de 30 minutos para atendimento em dias de pico. Além de não oferecer instalações adequadas para os clientes.

Exigimos que o banco seja multado e passe a se adequar às normas e leis vigentes.Reivindicamos do Banco Itaú uma solução para que a agência se habilite a respeitar os direitos dos moradores e que ela cumpra os seus deveres de acordo com as leis.