Jornal do Brasil

Visto de Fora

Visto de Fora

Miguel Paiva

Um país em extinção

Jornal do Brasil MIGUEL PAIVA

O governo Bolsonaro tem a capacidade de só lançar ideias absurdas. Isso traz à tona conceitos, sentimentos e hábitos que começam a entrar em extinção. Talvez seja essa a ideia. Transformar esse país num quintal dos poderosos onde o povo cumprirá o ignóbil papel de força produtiva sem reconhecimento para o enriquecimento de poucos. Estamos entrando num período de aridez intelectual que mete medo. Pensar é questionar, inquietar e transformar. Vamos tentar fazer uma lista do que está desaparecendo.

EDUCAÇÃO 1- Esta é a educação básica, aquela que aprendemos em casa e na sociedade, aquela que nos faz dar bom dia e dizer obrigado. Esta educação está praticamente abolida. Entramos nos elevadores como robôs estranhos e não damos nem bom dia, nem até logo. Viramos seres amedrontados e desconfiados.

Macaque in the trees
Charge (Foto: Miguel Paiva)

EDUCAÇÃO 2- Esta é a que vem das escolas e que parece ser tão desvalorizada pelo governo. Os estudantes são chamados de idiotas inúteis, de baderneiros, drogado, pervertidos além de comunistas, é claro. A escola parece ser um entrave que o governo tem que engolir enquanto pensa num jeito de acabar definitivamente com ela.

SENSO DO COLETIVO- Diferente da solidariedade que sempre foi idealizada pelos brasileiros, principalmente aquela que não significa sacrifício de quem é solidário, o senso do coletivo é mais concreto. Envolve levar em consideração o outro, envolve pensar no próximo não como um sentimento cristão, mas como uma noção de que o mundo é feito pela união de todos e os direitos e deveres passam por aí. Um povo cujo coletivo é valorizado é um povo mais feliz.

ABSTRAÇÃO- A ignorância é a consequência mais grave da falta de abstração que acaba sendo a consequência direta da falta de informação , educação e cultura. Abstrair é se colocar do lado de fora dos fatos e elaborar a sua própria versão deles. É sempre útil para a compreensão do mundo e é sempre uma ameaça para os tiranos e opressores. Abstraindo se vai longe pelo caminho da imaginação e da criatividade.

HISTÓRIA- Esta foi esquecida, ou melhor, nunca existiu e o que insiste em permanecer deve ser mudado. Coisas tipo o nazismo ser de esquerda, o golpe de 64 nunca ter existido fazem parte dessa "limpeza" ideológica por parte de um governo que se diz sem viés ideológico. A História prova o contrário, mas como a História não existe mais por aqui, vamos ver onde essa história mal contada vai nos levar.

MEMÓRIA- Uma está ligada a outra. A memória é a base da História e onde não existe uma, não sobrevive a outra. A memória, segundo o governo, é de esquerda e deve ser esquecida. Ela só lembra de fatos que denunciam os tiranos e aa grandes injustiças cometidas contra o povo. Melhor a memória seletiva que só lembra do que eles querem e mesmo assim pode ser perigosas. A memória, assim como a mentira, tem pernas curtas, volta para te atemorizar durante a noite quando você menos espera.

TRANSFORMAÇÃO- Perigo iminente. Cuidado! Não deixe esse sentimento subversivo tomar conta de você. A transformação é perigosa. melhor deixar para quem sabe. É assim que o governo pensa. Transformar é para quem tem o poder e a transformação tem que ser dosada com conta-gotas. Nada que possa tirar o bem- bom de quem governa. Cuidado com ela.

MEIO AMBIENTE- Está mais para 1/4 de ambiente do que que para ambiente inteiro. Do jeito que vai não existirá por muito tempo. O meio-ambiente é um entrave para o desenvolvimento desenfreado, para o capitalismo selvagem, para a especulação econômica. Como a Natureza insiste em se impor pode dar merda.

FELICIDADE- Se você conseguiu ler até aqui deve estar pensando, mas se isso tudo acabar acaba também a felicidade. Boa conclusão. É sinal que você ainda não deixou acabar sua capacidade de abstrair. Ainda resta esperança. Faça uso dela.