Nem de azul, nem de rosa, vou sair de nude

Macaque in the trees
Blocos (Foto: Miguel Paiva)

Carnaval nas cidades, blocos nas ruas, foliões entregues à folia e assim vamos vivendo. Tudo para no Carnaval: Justiça, governos, empresas, escolas e ladrões. Parece que existe um pacto de convivência pacífica entre os lados de cá e de lá da lei para cair no samba em paz. Os blocos são o povo nas ruas em harmonia, apesar dos nomes diferentes.

Cordão da Tarja Preta - Nasceu no Pinel e, depois dos portões abertos dos hospitais psiquiátricos, ocupou as ruas do Rio com a galera mais doidona do pedaço. Vale tudo no Tarja Preta e o desfile é acompanhado por uma equipe médica e ambulâncias, além de apoio psicológico aos foliões.

Avança No Recuo - O patrono do bloco é o presidente da República. O bloco começa de maneira avassaladora o desfile, mas logo para e recua. Desfila de marcha à ré para, em seguida, partir novamente em disparada. É assustador, mas entediante para quem assiste.

Canto O Hino Mas Não Sei a Letra - Bloco infantil composto por alunos da escola elementar. Todos uniformizados desfilam com as mãos uns nos ombros dos outros, enquanto o mestre da bateria mirim toca no apito o Hino Nacional. Quem cantar a letra toda ganha 10 e uma foto no site.

Nem de Azul, Nem de Rosa, Vou de Nude - Sempre que tenta sair o bloco é proibido pelo excesso de nudez mas, a cada dia, mais gente adere ao bloco libertário. A ministra Damares foi vista disfarçada de Lady Gaga no meio do desfile no Rio.

Julga Mas Não Pune - É o bloco do STF que não sai. Eles se concentram ali nos salões do tribunal, começam a discursar e acabam dormindo sobre suas togas. A animação fica por conta do ministro Gilmar Mendes que adora soltar presos, a franga e o grito de carnaval.

Bloco da Bala - Os componentes precisam estar armados e prontos para revidar em legítima defesa ou debaixo de violenta emoção. Todos desfilam armados, em formação e a passo de ganso. A cada paradinha da bateria antiaérea, tiros são dados para o ar. Cantam trilhas de filmes da cowboy, marchas militares e sucessos do Ultraje a Rigor.

Aposento Mas Não Sento - É o pessoal revoltado com a Nova Previdência. Como é composto na sua maioria por pessoas idosas, o bloco não sai. Entre aposentados e cuidadores, o bloco só não cai na gandaia por falta de assistência médica. Na esperança de uma aposentadoria, confiam mais no Rei Momo do que no Paulo Guedes.

Imprensa Que Eu Apoio - Bloco animado e que cresce a olhos vistos nos corredores da imprensa palaciana. São jornalistas, editores, donos de jornais que por um pouquinho de afago no ego, de carinho e de juras de amor passam a apoiar o governo. Mas, como é carnaval, se escondem atrás de máscaras e fantasias ousadas vendidas pela oposição.

Os Fora da Lei Rouanet - Todos os artistas, técnicos, produtores e empregados associados às produções financiadas pela Lei Rouanet desfilam com uma mão na frente e outra atrás, cantando em prosa e verso o futuro cultural do Brasil. O governador do Estado pediu para ler as letras das músicas pra ver se libera.

Bloco da Treta - Aberto a todos os brasileiros chegados a um trambique, a uma transgressão, a uma mamata. O bloco desfila por todas as ruas do país de janeiro a dezembro, sem regras, sem limites e sem banheiro químico. Para saber por onde ele vai passar, é preciso estar ligado nas fake news e nas redes sociais suspeitas.

Evoé, Momo!!!