Jornal do Brasil

Tom Leão

Tom Leão

A Grande Catharina como você nunca viu

Jornal do Brasil TOM LEÃO, nacovadoleao.blogspot.com.br

Nos últimos anos, tornou-se comum abordar um determinado personagem histórico a partir de sua juventude. Na maioria das vezes, é puro exercício de imaginação e estilo. Duas boas minisséries recentes, que fazem uso disso, e já estão no Brasil, são ‘Dickinson’ e ‘The Great’.

A primeira foi uma das séries lançadas junto com o serviço de streaming AppleTV+, há alguns meses. Já ‘The great’, que nos EUA passa no Hulu, estreou no Brasil este mês, através do serviço de streaming StarzPlay (disponível aqui na AppleTV+ ou via app). Esta é uma produção divertida e ágil, que cobre os primeiros anos da jovem da Prússia (atual Polônia), que viria a ser conhecida como Catharina, a Grande, quando chegou à Rússia, prometida para desposar o imperador Pedro III, como era comum, então.

Estrelado por Elle Fanning (que está muito bem no papel) e Nicholas Hoult (excelente como Pedro, espécie de playboy sem-noção, que acha que pode tudo, por ser Imperador), ao longo de 10 episódios, o drama satírico narra de forma cômica — e com muitas liberdades históricas — a ascensão de Catharina, a Grande, ao trono da Rússia. E suas tentativas de enganar o marido para assumir a coroa e governar o país.

Vale lembrar que, recentemente, a HBO exibiu por aqui ‘Catharina, a Grande’, com a mesma personagem - já mais velha -, interpretada por Helen Mirren. Este ainda pode ser visto através do HBO GO. Mas um não tem absolutamente nada a ver com o outro. A não ser a protagonista.

‘The Great’ foi criada por Tony McNamara, roteirista indicado ao Oscar por “A Favorita” (e quem assistir notará as semelhanças na pegada sacana). Ela conta, com muitas liberdades, como Catharina foi de estrangeira (e muito humilhada, por ser uma mulher culta e inteligente) à mais longa e amada governante feminina na história da Rússia. Os episódios são divertidos (e algo exagerados) e nada corretos. Não adianta reclamar que não leu aquilo nos livros de História (até o pensador Voltaire, que Catharina idolatra, aparece num episódio, como ‘presente’). É tudo apresentado com muito humor, sem aquele clima solene e afetado das produções da BBC.

Muito diferente de ‘Dickinson’ (interpretada pela ótima Hailee Steinfeld), que, apesar de injetar música pop atual na trilha, segue uma linha mais romântica - embora mostre a poetisa americana do Século 17 falando com uma adolescente dos tempos atuais. Na verdade, pelo que vemos, ela nasceu na época errada.

.R.U.G.I.D.O.S.

* Devido ao sucesso da exibição, no Belas Artes Drive-in, “Apocalypse Now: Final Cut” estreia na plataforma Belas Artes à La Carte. A versão definitiva do clássico de Coppola chega acompanhada de dois documentários sobre os bastidores de sua produção: "Francis Ford Coppola - O Apocalipse de Um Cineasta" e “Dutch Angle: Fotografando Apocalypse Now”.

* A cineasta belga radicada na França, Agnès Varda, foi uma das precursoras da Nouvelle Vague. Na década de 1950, a diretora já abordava a temática feminista em suas produções. Seu primeiro filme, ‘La Pointe Courte’ (rodado quando ela tinha apenas 25 anos), e outros quatro, como seu último, o documentário ‘Varda Por Agnès’, estão no streaming do Telecine.

* StarzPlay divulgou o trailer oficial de sua nova série original, ‘P-Valley’. A série estreia no domingo, 12 de julho, após o último episódio da temporada de ‘Hightown’, no canal Starz, nos EUA e no Canadá; e na StarzPlay, na Europa, América Latina e Japão.

* Lives reunindo músicos da Orquestra Petrobras Sinfônica estão acontecendo semanalmente no canal da OPS, no YouTube. Entre os convidados do projeto estão nomes como a bailarina Ana Botafogo, além do cantor e compositor Paulinho Moska e do ator Mateus Solano. É só acessar, toda quinta-feira, às 11h (dá para assistir também aos encontros que já aconteceram).