Jornal do Brasil

Tom Leão

Tom Leão

Novos serviços de streaming, como Starzplay e Petra Belas Artes, dão mais opções ao consumidor

Jornal do Brasil TOM LEÃO, nacovadoleao.blogspot.com.br

Macaque in the trees
E deus criou a mulher, de Roger Vadim, com Brigitte Bardot, está no catálogo de streaming do Petra Belas Artes (Foto: Acervo JB)

Com tudo pelo que estamos passando, ficar em casa é a única opção segura. E, por isso, os serviços de streaming são ótimas opções para alternar entre ler aquele livro há muito tempo na fila para ser começado ou (re)ouvir os discos da coleção. Hoje em dia, há para todos os gostos, além dos mais conhecidos e usados, como Netflix, GloboPlay e Prime Video.

Um que entrou no Brasil, recentemente, sem muito alarde, foi o StarzPlay, do canal por assinatura americano Starz (de onde saiu a série ‘Dexter’, por exemplo), que faz parte do grupo Lionsgate (cinema). Como todo serviço de streaming grande/rico, o StarzPlay também oferece conteúdo de produção própria. Como a série ‘High Town’, produzida pelo famoso produtor de filmes de ação Jerry Bruckheimer (‘Bad Boys’, ‘Piratas do Caribe’, ‘Top Gun’), que entrará no streaming no mesmo dia de sua estreia nos Estados Unidos, 17 de maio. Mas o app ainda não está disponível nas smartvs.

No momento, o StarzPlay está com promoção de lançamento: R$ 5 por mês, pelos primeiros três meses. E tem um período gratuito de teste. Outras séries populares de seu cardápio original são ‘Spartacus’, ‘Castle Rock’ e o lançamento ‘Pennyworth’ (sobre a vida do mordomo de Bruce Wayne/Batman, o notório Alfred). Além de todos os filmes da saga ‘Twilight/Crepúsculo’.

Para quem reclama da falta de filmes mais antigos, clássicos, europeus ou, digamos, mais artísticos, nos catálogos dos serviços de streaming – de predominância norte-americana – o Petra Belas Artes (versão VOD do famoso cinema paulistano) é um oásis. É como ter o seu próprio cinema de arte em casa. Estão lá títulos que não vemos em parte alguma, como ‘Uma noite em Casablanca’’, com os irmãos Marx; ‘E deus criou a mulher’, de Roger Vadim, com Brigitte Bardot; ‘Morte em Veneza’, de Luchino Visconti; títulos de Louis Malle, Buñuel e Godard (‘Uma mulher é uma mulher’, com a musa Anna Karina), expressionismo alemão, cinematografias de todas as partes, numa lista de dar água na boca para qualquer cinéfilo. Ou para quem está à procura de filmes diferentes, para fugir dos blockbusters de sempre.

 

No momento, o Petra Belas Artes tem quase 200 filmes, que podem ser desfrutados de duas maneiras: assinatura mensal, por R$ 9,90; ou locação por filme unitário, para assistir em um período de até 48 horas, a partir de R$ 4,90. Mas só dá para ver no PC e no smartphone.

RUGIDOS:

*O Smithsonian Channel, que está completando seu primeiro ano no Brasil, lançou este mês as séries documentais de produção própria ‘América selvagem’, ‘Palácio de Buckingham’ e ‘Jesus de Nazaré’. O canal está com sinal aberto até 15 de abril.

* O Canal Brasil estreou este mês “Histórias Que Nosso Cinema (Não) Contava”, documentário que analisa o legado das pornochanchadas brasileiras.

* Única distribuidora dedicada exclusivamente ao cinema brasileiro, a Downtown Filmes tem sete de seus filmes concorrendo ao Grande Prêmio de Cinema Brasileiro (entre eles, ‘Simonal’, ‘Minha fama de mau’, bate coração’ e ‘O amor dá trabalho’). O evento ainda não tem data definida devido à pandemia de Covid-19.