Borat: a segunda vez é meio previsível

...
Credit......

Quatorze anos depois de ‘Borat: o segundo melhor repórter do glorioso país Cazaquistão viaja à América’ (“Borat: cultural learnings of America for make benefit of glorious nation of Kazakhstan’, 2006), uma das melhores comédias gonzo do cinema - feita em tom documental, como se fosse verdade -, chega a (in)esperada sequência ‘Borat: subsequent movie film’ (título encurtado). Inesperada porque o filme foi todo rodado em segredo, sem que ninguém soubesse que ele estava sendo feito. E só anunciado semanas antes de ser lançado, pelo serviço de streaming Amazon.

E foi feito em segredo porque, hoje em dia, quase todo mundo sabe/conhece quem é Borat (interpretado pelo humorista inglês Sacha Baron Cohen), criado para um dos segmentos do programa ‘Da Ali G show’ (um fake rapper feito por Cohen), exibido no HBO. Justamente pelo sucesso alcançado pelo primeiro filme (dirigido por Larry Charles, produtor de “Seinfeld” e roteirista de “Curb your enthusiasm’), que faturou mais de US$200 milhões para um filme que não custou nem US$20 milhões!

Então, como enganar? Desta vez, Borat volta aos EUA com sua filha, Tutar (a búlgara Mariya Balakova, sensacional!) e se disfarça de ‘americano’, gordo (enchimento), de barba e roupas de rancheiro. Sua missão é entregar a filha para uma figura proeminente dos EUA, já que o ‘sonho de princesa dela’ é ser Melania! Tenta primeiro invadindo um comício de Mike Pence (disfarçado de Trump!) e, depois, com o ex-prefeito de Nova York, Rudy Giuliani.

Estas, e mais a cena na qual Tutar simula estar menstruando numa festa, são os raros momentos realmente constrangedores do filme. Já que, no restante, Borat e Tutar seguem um roteiro muito bem formatado (oito roteiristas!) e a maioria das pessoas com quem contracenam parece que foram ensaiadas. Não há o mal-estar do primeiro, quando Borat cometia as maiores gafes enquanto descobria a América.

O filme é todo calculado, e feito para o momento político atual. E Borat chega ao cúmulo de se desculpar pelos vacilos do filme anterior. O que meio que destrói toda a ‘má fama’ construída pelo personagem. Os tempos são outros. E Borat também mudou. Pena.

R.U.G.I.D.O.S

*O Grupo Bandeirantes está planejando lançar um canal 24 horas sobre gastronomia na TV paga. O Band Gourmet (provável nome) ainda está em fase de projeto, e se vingar estreia em 2021. Conversas com produtoras de conteúdo também já estariam sendo realizadas.

*Com foco no público jovem, o canal Loading entra no ar a partir de dezembro com transmissão via streaming nas plataformas digitais, TV aberta e TV a cabo. O Loading terá programação com cultura pop, séries, games, e-sports, animes e todos os outros que envolvem o universo do entretenimento jovem.

*Dias antes do lançamento do Disney+, no Brasil, os canais Fox, FX, Disney Channel, Disney XD, Disney Junior e National Geographic exibirão uma seleção de episódios das séries originais do Disney+: The Mandalorian, Star Wars: A Guerra dos Clones, High School Musical: A Série: O Musical, Diário de uma Futura Presidente e A História do Imagineering.

*A plataforma de streaming gratuita Vix Cine e TV lançou a série original “La Treintena”. É a primeira série espanhola a entrar no catálogo Vix. Produzida durante o lockdown da pandemia de covid-19 na Espanha, a série acompanha a vida de quatro amigas que vivem sob confinamento em Barcelona..