Taninos: característica de todo bom vinho tinto

Sabe quando você toma um gole de vinho tinto seco e sente aquela sensação adstringente na boca? Sim, eu sei que ela pode ser bastante agradável ao seu paladar. Essa impressão é causada pelos taninos naturais da uva. Eles são também chamados de ácido tânico, um composto de polifenóis presente em algumas bebidas como vinho, café, chá, cerveja e alimentos como chocolate escuro, cranberries, uva, romã, açaí, amêndoas, nozes e alguns feijões.

Esses polifenóis agem ligando-se às proteínas da nossa saliva, separando-as, o que causa a sensação agradável e adstringente quando se bebe ou come alimentos ricos em taninos. Por outro lado, nas plantas ocorre o inverso. O ácido tânico é destinado a torná-las indesejáveis a predadores, garantindo a perpetuação da espécie vegetal. No mundo da vinificação, os taninos são usados para adicionar complexidade ao sabor e textura aos bons vinhos tintos e em alguns brancos. Eles são carregados com promotores de saúde, gerando os seguintes benefícios:

1. Antioxidantes

Segundo estudo publicado no European Journal of Nutrition, os taninos agem reduzindo o estresse oxidativo e os danos dos radicais livres nas células. De fato, os produtores de vinho adoram que os vinhos tânicos sejam protegidos por seus antioxidantes naturais.

2. Anti-inflamatório

Como age reduzindo o estresse oxidativo, consequentemente diminui a inflamação e melhora os sintomas de inflamação.

3. Anticarcinogênico

Pelas suas propriedades antioxidante e anti-inflamatória, alguns estudos sugerem que os taninos têm potencial protetor contra o câncer.

4. Efeitos antimicrobianos e antivirais

De acordo com pesquisa realizada na Universidade de Memphis, o crescimento de muitos fungos, leveduras, bactérias e vírus é inibido pelo ácido tânico. Além disso, os taninos das frutas agem como um mecanismo de defesa natural contra infecções microbianas.

5. Prevenção e controle de diabetes tipo 2

Apresentam a capacidade de ajudar a equilibrar os níveis de açúcar no sangue, o que ficou bem documentado em um estudo publicado em 2018. Na pesquisa, o ácido tânico se mostrou efetivo na prevenção e controle do diabetes tipo 2.

6. Efeito cardiovascular

Um estudo em animais, realizado em 2015, observou que o ácido tânico apresentou efeitos anti-hipertensivos e vasodilatadores, reduzindo valores pressóricos em ratos hipertensos. Em humanos ainda são necessários mais estudos para determinar todo o potencial da substância no sistema cardiovascular.

7. Melhora a coagulação sanguínea

Por regular a coagulação do sangue, ajuda a acelerar a cicatrização de feridas, de acordo com estudo publicado na Evidence-Based Complementary and Alternative Medicine, publicado em 2014.

Efeitos colaterais

Algumas pessoas podem ser sensíveis aos taninos, desencadeando dores de cabeça ou enxaquecas. Se houver sinais de alergia ou efeitos indesejáveis, o melhor é evitá-los. Mas se este não é o seu caso, abra uma garrafa e aproveite – lembrando-se sempre, é claro, de evitar os excessos. Supersaúde!

-

WILSON RONDÓ JUNIOR. Médico Nutrólogo - CRM RJ: 52-0110159-5

-

Referências bibliográficas:

•Basic Life Sci. 1992;59:539-69.

•Yakugaku Zasshi. 1995 Feb;115(2):81-100.

•Crit Rev Food Sci Nutr. 1998 Aug;38(6):421-64.

•Eur J Nutr. 1999 Jun;38(3):126-32.

•Eur J Nutr. 1999 Aug;38(4):190-5.

•Curr Med Chem. 2019;26(25):4852-4884

•Eur J Nutr. 2000 Oct;39(5):207-12.

•Evid Based Complement Alternat Med. 2014; 2014: 857651.

•Cytotechnology. 2015 Jan;67(1):97-105

•Contemp Clin Dent. 2015 Oct-Dec;6(4):505-9

•Phytomedicine. 2019 Mar 15;56:229-245