Jornal do Brasil

Saúde & Alimentação

Saúde & Alimentação

Wilson Rondó Júnior

Você ainda tem dúvidas sobre amamentar seu bebê?

Jornal do Brasil

Na última década, houve um aumento de 6 vezes do consumo de formulas infantis em relação à amamentação.

Porém neste período não houve aumento de taxa de alergia ao leite em bebês.

Qual seria o motivo?

Comodidade?

Ou convencimento da mídia?

Entenda as vantagens da amamentação:

1. Mantém o equilíbrio da ecologia intestinal do seu bebê.

A alimentação correta é o fator mais importante em manter essa condição, desempenhando papel crucial nos processos de saúde e doença.

Pesquisas recentes mostram uma associação entre a alimentação inadequada em lactentes e estimulo a obesidade.

Avaliou-se como as bactérias no sistema digestivo de um lactente são afetadas, comprometendo a queima e armazenamento de gordura.

No acompanhamento da evolução dessas crianças, observou-se que:

- Os bebês alimentados só com fórmula, apresentavam a menor variedade de bactérias boas, com isso tinham quase o dobro do risco de se tornarem com sobrepeso quando comparados àqueles que foram amamentados exclusivamente com leite materno.

- Os que foram alimentados com leite materno e fórmula tinham um risco 60% maior de se tornarem acima do peso.

- Os que só foram amamentados com leite materno não tiveram aumento de risco.

2. Diminui o risco de obesidade

O leite materno contém açúcares complexos necessários para alimentar tipos específicos de bactérias. Isso influencia como uma criança queima e armazena gordura, reduzindo o risco de obesidade, além de ser rico em nutrientes essenciais para estimular o crescimento e imunidade.

Fórmulas infantis normalmente contém muito açúcar e frutose processada, só estimulando bactérias ruins. Isso aumentará o risco de obesidade no futuro, tanto a curto como a longo prazo. Além disso, essas formulas tem agregado componentes transgênicos, vitaminas sintéticas, minerais inorgânicos, excesso de proteína e gorduras prejudiciais.

3. Aumenta imunidade – O aleitamento materno transfere os anticorpos da mãe criando a imunidade das crianças, tanto a curto como a longo prazo.

4. Redução do risco de morte súbita infantil – A amamentação reduz em até 50% esse risco em todas as idades até a infância.

Já os bebês alimentados com mamadeiras apresentam quatro vezes mais risco de síndrome da morte súbita infantil.

5. Melhor função cognitiva – A amamentação por um período de no mínimo nove meses apresentam maior desenvolvimento cerebral do que aqueles que não foram amamentados.

6. Menos alergias – Bebês com aleitamento materno exclusivamente, segundo estudo, tiveram redução drástica de doenças alérgicas e asma.

Por outro lado, bebês alimentados com mamadeira, tiveram:

- 14 vezes mais hospitalizações

- Maior frequência de infecções respiratórias superiores, problemas com roncos, apneia do sono

- Maior incidência de problemas sérios gastrointestinais

- Incidência maior de desalinhamento da mandíbula e comprometimento da fala

Referências bibliográficas:

- ABC News, June 6, 2018

- JAMA Pediatrics, June 4, 2018

- BabyCenter, June 9, 2018

- Mercola.com, This common food ingredient can really mess up your metabolism

- Weston A. Price Foundation, December 9, 2015

- Gmoinside.org, May 1, 2013

- Annals of Asthma, Allergy and Immunology, 1998;81(6):523

- American Academy of Pediatrics, 2009;123(3)

- Journal of Korean Medical Science, 2016;31(4):589

- Brown University, June 6, 2013

- European Annals of Allergy and Clinical Immunology, 2007;39(10):337