Jornal do Brasil

Olhar para dentro

Olhar para dentro

Flávio Cordeiro

Greta Thumberg e o Retorno de Saturno

Jornal do Brasil FLÁVIO CORDEIRO *, flavio@flaviocordeiro.com.br

Francisco de Goya y Lucientes eternizou a imagem mitológica que temos de Saturno ao pintar, por volta de 1823, Saturno devorando a seus filhos. É uma imagem assustadora até os dias de hoje. A mitologia nos conta que, após castrar seu pai Urano, Saturno se torna o novo soberano do mundo. Acontece que, ao derramar o sangue paterno, ele é amaldiçoado: será destronado pelos filhos. Ele decide, então, que irá devorar cada filho que nascer do ventre de sua esposa Reia.

Macaque in the trees
Greta Thumberg (Foto: Reprodução/Montagem)

Após assistir desolada a devoração de cinco de seus filhos, Reia decide que irá salvar de qualquer maneira o sexto rebento: Zeus. Ela cria um estratagema: embala uma pedra do tamanho de um bebê em um lençol e entrega ao grande Saturno, que engole a pedra pensando se tratar de mais um de seus filhos. Zeus é enviado para Creta, onde é criado em segurança, até que se torne um jovem forte, capaz de enfrentar o pai e vencê-lo. Zeus vence o pai e obriga Saturno a vomitar seus cinco irmãos. É a chamada Titanomaquia, ou guerra de titãs, descrita por Hesíodo na obra Teogonia. A profecia se cumpre e Zeus aprisiona Saturno no mundo inferior: o Tártaro.

Esse é um tema fundamental na psicologia junguiana: a dinâmica entre o Puer (a criança, representando o novo) e o Senex (o velho e as velhas atitudes). Puer e Senex são arquétipos, portanto assistimos a essa dinâmica se desenrolar tanto em nossas vidas quanto no cenário das grandes questões cruciais da humanidade.

Há muitos aspectos nessa dinâmica; em um deles, o Senex é o velho sábio que, com sua experiência e domínio das estações (Saturno, também conhecido como Cronos é o deus do tempo e das colheitas), auxilia o Puer a enfrentar suas inquietudes, canalizar sua energia e amadurecer. No pólo oposto, há o Senex negativo, que é o velho enrijecido, ceifador de vidas, disseminador de morte. É Saturno o devorador de qualquer nova possibilidade. Em seu aspecto negativo, Saturno representa o homem neofóbico, preso ao passado, refém de suas histórias, incapaz de se renovar. Perdeu o contato com sua própria criança, transformou a vida em batalhas a serem vencidas, não tem amigos, só interesses, não sabe sorrir, a não ser que seja para ironizar. Importante registrar que o velho aqui não é cronológico, mas existencial: é um modo de encarar a vida, que pode existir em qualquer idade. Com medo do futuro, o Senex em seu pólo negativo devora o Puer, devora qualquer nova ideia ou ponto de vista que não confirme suas velhas crenças. Não consegue ver o Puer como inevitável continuidade, apenas como ameaça.

Nessa semana assistimos a Saturno Devorador em um típico ataque ao Puer; nesse caso, o Puer foi personalizado pela ativista ambiental Greta Thumberg. Greta é uma menina Sueca de 16 anos que resolveu denunciar o espírito do Saturno negativo em sua fala na Cúpula das Ações Climáticas das Nações Unidas. Greta tomou a causa ambiental a sério; acusou Saturno por estar devorando o futuro dela e de sua geração. Vale reproduzir a fala de Greta, que é a fala de muitos adolescentes e jovens de todo mundo: “Vocês estão falhando conosco, mas os jovens estão começando a entender sua traição, os olhos de todas as gerações futuras estão em vocês, e, se vocês escolherem falhar, eu digo que nunca os perdoaremos”. Sua fala era dirigida a uma plateia de dezenas de chefes de Estado e de governo, líderes empresariais e representantes da sociedade civil de todo o mundo. Quantos Saturnos estavam ali?

Tal como Saturno devorador dos filhos, o líder da maior potência mundial, Donald Trump, debochou de Greta em suas redes sociais na tentativa de desqualificar sua causa, e, ainda, devorar o surgimento dessa nova e potente liderança. Vejam o incômodo que uma jovem com uma fala verdadeira pode despertar no mais poderoso dos Titãs. Quando o Puer alça voo, o Senex vingativo não suporta, é tomado por uma irresistível pulsão de morte e parte para o ataque: sua natureza devoradora exige sangue novo na boca. Nesse episódio Saturno Devorador incorporou em várias pessoas que espalhando críticas de baixo calão e até imagens falsas contra essa menina de 16 anos, que tem a seu favor apenas um ponto de vista solidamente defendido, com palavras e não com armas.

O Puer é frequentemente alvejado pela ira do velho Saturno. Malala Yusafai, uma jovem paquistanesa, ousou desafiar Saturno Devorador, que dessa vez foi encarnado pelos homens da milícia Talebã. Sua ousadia foi ir contra a tradição arcaica que impedia as meninas de estudarem. Aos 15 anos, em 2012, quando saía da escola, a menina foi baleada na cabeça. Aos 17 anos, Malala se tornou a pessoa mais jovem a ganhar o prêmio Nobel da Paz. Como Zeus, enganou a morte e enfrentou Saturno.

Saturno devorador de jovens encontrou, na voz da estudante norte-americana Emma Gonzales, sobrevivente do massacre de Parkland que deixou 17 mortos, um adversário inesperado. Aliás os jovens norte americanos têm tido suas vidas ceifadas aos montes pelo culto às armas referendado por líderes Saturninos e pelo poderoso lobby da NRA (Associação Nacional do Rifle), uma associação que devora a vidas impiedosamente. Reproduzo parte do discurso histórico de Emma, logo após o massacre do qual ela milagrosamente escapou: "Se o presidente quiser vir até mim para dizer na minha cara que foi uma terrível tragédia, e como isso nunca deveria ter acontecido, e continuar a nos dizer que nada será feito a respeito, eu irei felizmente perguntá-lo quanto dinheiro ele recebeu da NRA. Mas quer saber? Não importa, porque eu já sei. US$ 30 milhões. E dividido pelo número de vítimas de balas nos Estados Unidos em apenas um mês e meio em 2018, são US$ 5.800. É esse o valor dessas pessoas para você, Trump?” Mais uma jovem menina desafiando o maior dos Titans.

A função do Puer é renovar, é trazer frescor, é descongelar visões retrógradas de mundo, é abrir espaço, é apontar a absurda e inconsequente prática de devorar o futuro. Me pergunto o que aconteceu na história quando permitimos o retorno de Saturno, o devorador de gente, de florestas, de fauna, de diferenças, de jovens e de futuro.Lembro do verso da canção O Senhor da Guerra, de autoria de Renato Russo: "O senhor da guerra não gosta de crianças”. Os Trumps e todos os tipos de Talebans à solta por aí, Nada ameaça tanto Saturno quanto o gesto espontâneo e alegre do jovem.

Por sorte, o princípio da vida, personificado nas Gretas, Emmas e Malalas, pelo Puer renovador, está soprando cada vez mais forte como uma só voz. Que essa voz tenha o poder de enviar Saturno de volta ao Tártaro.

* Psicólogo e Psicoterapeuta