Jornal do Brasil

Marketing, Propaganda, etc.

Marketing, Propaganda, etc.

Renata Granchi

Falta de incentivo fiscal ameaça fotografia publicitária

Jornal do Brasil RENATA GRANCHI, colunadarenata@jb.com.br

Uma foto ruim pode destruir uma campanha publicitária, como também pode engrandecer a comunicação da ação. Na busca por diminuir custos de produção, o uso de banco de imagens vem aumentando e causando uma quebra em toda uma cadeia de trabalho, que inclui maquiadores, modelos e, especialmente, fotógrafos. Alexandre Salgado, um dos fotógrafos de publicidade mais premiados do país, foi destaque na categoria Profissional de Fotografia pela Associação Brasileira de Propaganda – ABP, em 2017, fala sobre a falta de proteção e incentivo fiscal para o setor, o futuro da profissão e ainda dá dicas para quem deseja entrar nesse mercado.

Macaque in the trees
(Foto: Divulgação)

O que é ser um bom fotógrafo?

Dentro da publicidade, campo que atuo há 35 anos, ser um bom fotógrafo é conseguir receber um pedido de um cliente, ou de uma agência de publicidade, e traduzir essa imagem com emoção e precisão para o consumidor. Fazer uma luz e uma produção impecável é indispensável. Se a foto tiver modelos, é fundamental fazer uma direção que exprima naturalidade e que transporte às pessoas para esse mundo imaginário. Tudo para imprimir os anseios do cliente e levar o consumidor à curiosidade e, posteriormente, a compra desse produto ou serviço. Uma foto elaborada, dependendo da sua complexidade, pode durar até uma semana ou mais. Essas peças todas reunidas requer um grau de experiência que não pode se desprezar, por mais que a velocidade dos trabalhos da internet exija, o cliente tem que receber o melhor.

Os equipamentos profissionais usados pelos fotógrafos são muito caros, especialmente por causa dos impostos. Devido a crise econômica, os orçamentos estão cada vez mais baixos. Em resumo, o valor do material não se paga. Como resolver essa equação?

O drama dos altos custos é uma realidade de muitos anos. Os preços, todos em dólar, só tiveram um refresco na época do um por um no câmbio. Isenções poderiam ter sido executadas há mais tempo por parte do Governo. Nós fotógrafos não temos representação nenhuma na Assembléia e, como uma classe que não conseguiu se organizar para tal, essa equação só teria um resultado positivo com uma portaria que ajudaria as produtoras de filme e de imagem em geral. Equipamentos de lentes, máquinas digitais, tripés, luzes e computadores... existe uma quantidade de impostos que dificulta a aquisição. A aprovação para certos setores da indústria, por exemplo, atrapalha a evolução dos equipamentos feitos aqui, criando uma distância enorme de qualidade entre o que é feito aqui e o que é importado.

Ainda sobre a crise, na busca por preços menores, cresceu a utilização de banco de imagens. Quais as vantagens e desvantagens desse uso?

O BI é de grande auxílio. Eu mesmo fiz um site, Artluz Images, com mais de 60 mil imagens. Isso sempre foi de muita valia para execução do nosso trabalho. No passado os bancos estrangeiros tinham fotos em JPEG sem muita qualidade. Hoje temos um panorama diferente. O BI tem um pouco mais de qualidade e se utilizam de preços muito baixos, criando um atrativo para o cliente. Em contrapartida a este cenário, temos uma desvalorização dos profissionais que não conseguem acompanhar esses valores praticados. Cria-se assim um hiato na cadeia de produção dos trabalhos. Modelos, maquiadores, figurinistas, camareiras, produtores, firmas de locação de equipamentos e assistentes de fotografia acabam procurando outro sustento. Se o governo parar para pensar, se valorizassem esses profissionais, eles estariam gastando dinheiro em impostos e, consequentemente, consumindo produtos que gerariam mais impostos. Pegar esse dinheiro, entregar para BIs estrangeiros, significa ir para fora direto, cria uma desigualdade abissal na cadeia industrial.

Um debate forte no setor é que, diferentemente dos filmes, os fotógrafos não tem qualquer proteção ou incentivo fiscal para exercer a profissão. Como se proteger economicamente e legalmente em cima de todas as suas produções, já que com o uso das redes sociais o profissional praticamente perdeu o controle sobre seu material produzido?

As produtoras dos grandes centros continuam com impostos altos. Tem imposto praticado que chega quase a 15% dos ganhos. Temos que arcar com a nossa nota fiscal por quase todos os profissionais envolvidos no trabalho e, muitas vezes, encarecendo o orçamento para o cliente, que precisa preservar a qualidade de sua marca. Para isso, é importante ter um trabalho bom para ótimo. Publicar em rede social qualquer coisa, simplesmente para estar na rede, pode ser um tiro no pé, por isso a importância de ter agências com trabalho de qualidade, que sempre vão procurar profissionais de alto nível. Os custos apertados de hoje também refletem a crise no país. Já vivemos isso na década passada. Só com a melhoria do país o mercado vai poder retomar os preços para que possamos nos equipar, aperfeiçoar, estudar e contratar novos profissionais. É um processo de retomada longa, temos que estar otimistas para a melhora.

O que o contratante deve levar em consideração na hora de escolher um fotógrafo?

Olhar o portfólio e verificar a qualidade dele, saber que o profissional vai poder entregar. Se tem uma especialidade de moda, evite contratá-lo para foto de comida, pois algo pode dar errado. Em compensação, muitos profissionais são versáteis e podem executar uma mistura de trabalhos. A Artluz, e várias outras firmas, consegue praticar esse mix. Se você precisa de uma foto de garrafa com uma modelo em um ambiente todo em 3D, essa versatilidade do profissional será importante. A criatividade nessa profissão está sem limites hoje em dia.

Para os fotógrafos que querem entrar nesse mercado, qual dica você daria?

Paixão. Sem ela ninguém se torna um bom profissional. Muito estudo, conhecimento de Photoshop e 3D e gastar muito click. Clicar, diferentemente da época analógica, não custa nada.

O que você acha que será o próximo produto que o fotógrafo irá trabalhar: foto em 3D, holográfica ou com realidade virtual? Como você vê o futuro do fotógrafo de publicidade?

Está difícil olhar muito tempo à frente. O profissional de foto publicidade vem se reinventando há mais de 20 anos. Vi vários amigos resistindo as mudanças e ficando pelo caminho. Vai sempre existir um funil pequeno e, talvez, tenham menos profissionais que se adaptem e outros que, ao entrarem, vão trazer novidades. O trabalho já mudou muito e as adaptações estão em curso. Teremos que ver os próximos anos como isso vai se desenhar e, claro, não parar de evoluir. Importante estarmos sempre atualizados e antenados.

NOTINHAS DO TRADE

CNN Brasil abre escritório em SP já de olho no Rio

Antes da ida para as instalações definitivas do canal na região da Avenida Paulista, Jardins, a CNN Brasil começa a operar seu escritório de transição na Alameda Santos, em São Paulo. O espaço temporário concentrará suas atividades da área administrativa, comercial e de conteúdo. Receberá de imediato 65 profissionais já contratados e tem capacidade para acolher até 150.

As negociações estão adiantadas para a definição dos locais que abrigarão as sedes do Rio de Janeiro e de Brasília.

----

Seleção Brasileira de futebol feminino

O Grupo Boticário dá sequência às ações do movimento ‘Com você eu jogo melhor’, iniciado em março por ocasião do Dia Internacional da Mulher. Através da hashtag #comvocêeujogomelhor, a empresa convida marcas e torcedores a demonstrarem apoio à seleção brasileira de futebol feminino, que vai disputar a Copa do Mundo em julho deste ano. A campanha será potencializada nas mídias online por meio das redes do Grupo Boticário e também de suas marcas.

“A #comvocêeujogomelhor é uma oportunidade grande para falarmos sobre igualdade, uma das grandes bandeiras do Grupo Boticário. Mais que um jogo, o torneio de futebol feminino é a oportunidade para levarmos esse movimento adiante, criando consciências positivas sobre o tema e adotando uma atitude transformadora”, diz Lia Azevedo, VP de Recursos Humanos, Comunicação e Sustentabilidade do Grupo.

----

DZARM lança collab exclusiva com Isis Valverde

Macaque in the trees
(Foto: Divulgação)

Peça coringa do guarda-roupa de toda mulher, o clássico e versátil jeans ganha releituras protagonizadas pela atriz Isis Valverde, que foi convidada pela DZARM a assinar uma coleção especial de jeanswear. A campanha mostra a atriz em diferentes momentos de lifestyle, que vão desde situações casuais a eventos mais formais.

"Assinar uma coleção era um desejo meu e fico muito feliz de ter construído essa história com a marca”, destaca Isis Valverde.

----

Colorado lança cerveja no Leblon

A Colorado, cervejaria de Ribeirão Preto, lança nesta segunda, no Bar do Urso, no Leblon, a Ribeirão Lager, uma cerveja com amargor moderado. Os presentes poderão experimentar a nova bebida e um cardápio especial produzido em harmoniza com esse novo rótulo. 

----

Prudential do Brasil: a seguradora mais rock, no RIR

A Fullpack é a responsável pela campanha “A seguradora mais rock, no Rock in Rio”, da Prudential do Brasil, que nessa edição é a seguradora oficial do maior festival de música e entretenimento do mundo. A empresa protegerá mais de 700 mil pessoas que passarão pelo festival, entre público, bandas e staff. A comunicação é a primeira assinada pela agência após a conquista da conta em fevereiro deste ano.

----

Hering Kids se une à Estrela para celebrar o Mês do Brincar

A marca infantil dos dois peixinhos, que levanta a bandeira do movimento como propósito para este ano, anuncia a parceria com a Estrela, marca de brinquedos com 82 anos no mercado, presente na vida dos brasileiros por gerações. A colaboração resultou na ação “Compre Hering Kids e ganhe brinquedos Estrela”, que se estenderá durante todo o mês de maio, quando se comemora o Mês do Brincar.

Com esta parceria, adultos são convidados a viajarem no tempo e a relembrarem de brincadeiras que fizeram parte da sua infância, estimulando-os a vivenciarem estas mesmas atividades com os pequenos. O objetivo é incentivar a realização de brincadeiras em família e promover a diversão entre adultos e crianças.

A iniciativa está inserida no #movimentoheringkids, que funciona como um convite para a saída da estagnação, a fazer algo diferente, a mudar o que não está bom e, acima de tudo, criar um mundo melhor, mais colaborativo, humano, acolhedor e divertido.

----

Gillette lança promoção “Ganhe Todo Dia”

Gillette, marca da P&G líder em lâminas no mundo, lança a “Promoção Gillette Ganhe Todo Dia”, que oferece aos consumidores a possibilidade de ganhar bônus de celular para as principais operadoras do Brasil – além de prêmios, a serem sorteados semanalmente. A promoção estará disponível, em todo o Brasil, entre 01 de maio e 30 de julho. No total, são 90 prêmios.

Para colocar a ação no ar, a Gillette contou com a expertise das agências parceiras Grey, para planejamento, Ketchum e iProspect, para a estratégia e execução de divulgação e mídia, respectivamente, IntegerOutPromo, responsável pela estratégia no ponto de venda, criativos para e-commerce, planejamento tático da campanha e operacionalização da premiação, Newbacon, com as ações de CRM, e Hive, para a plataforma de consumer experience. A estratégia de divulgação será voltada para o universo digital, em tom divertido e moderno, principalmente para conectar-se com o público jovem. Tiago Leifert, que já é embaixador da marca para o universo de games, será o garoto-propaganda da campanha. Saiba mais em https://www.descubrapg.com.br/promocaogillette