Jornal do Brasil

Marketing, Propaganda, etc.

Marketing, Propaganda, etc.

Renata Granchi

Audima, muito mais do que áudio, um modelo de negócio visionário

Jornal do Brasil RENATA GRANCHI, colunadarenata@jb.com.br

Há dois anos em operação, a startup Audima, dos irmãos Paula Pedroza e Luiz Eduardo Pedroza, converte texto para áudio. Além de inclusivo, a ferramenta pode potencializar até 50% o tempo de permanência do site, segundo dados da empresa. A partir do mês que vem, ela se expande para o mercado da América Latina e Estados Unidos. Paula explica como surgiu a ideia e como a utilização de áudio nos sites pode ajudar as campanhas de comunicação e marketing.

Macaque in the trees
Paula Pedroza, sócia-fundadora da startup Audima (Foto: Divulgação/Zzn Peres)

Como surgiu a ideia?

Sempre tive dificuldade em ler na tela. Por concentração ou por causa da luz. Ai pensei: se eu tenho dificuldade, imagine outras pessoas que tem algum problema cognitivo ou deficiência? Vi que deveria ter um grande problema ali e fui pesquisar. Descobri que, não só no Brasil, mas no mundo todo tem uma grande população que fica de fora dessa enxurrada de informação que existe na internet. Vivemos num império da visão e nem sempre os veículos de comunicação tem essa consciência. A marca, por exemplo, promove uma comunicação de um lado, mas o receptor não a recebe por causa de um problema de visão, por analfabetismo ou por qualquer questão de acessibilidade. E o áudio pode ajudar nisso. Ele lê o conteúdo em voz alta. Acredito tão fortemente nisso que criamos o movimento #audioinclui , que ajuda na disseminação dessa ideia.

Vocês atraíram investimentos estrangeiros do Vale do Silício. Algo que não é nada fácil. Como conseguiu?

Eu participei de um programa de aceleração no Vale do Silício que se chama GSV Labs. Além de ter aprendido sobre o mercado de startups, eu fiz uma apresentação no Google e lá tinha umas 400 pessoas, entre elas, investidores. Foi aí que conheci. Eu já fui pra lá com um protótipo, uma ideia na cabeça. Fiz esse programa com o objetivo de aprender para conseguir lançar nosso primeiro MVP - Minimum Viable Product (prática de administração de empresas que consiste em lançar um novo produto ou serviço com o menor investimento possível). Os investidores brasileiros entraram depois dos americanos. Basicamente, a empresa começou nos Estados Unidos. Hoje nossa operação é toda no Brasil.

Quem são seus concorrentes?

No nosso formato, somos pioneiros.

Qual é a diferença entre o recurso que o Google oferece e o de vocês?

O do Google só funciona no navegador Chrome e é preciso fazer uma instalação. Não é tão simples quando pensamos no universo de analfabetos digitais e pessoas com dificuldade de acessibilidade. Mais uma vez, nesse ambiente, essas pessoas ficarão de fora. No nosso sistema, é o site que instala. Todos que entrarem em contato com o site, blog, intranet, em qualquer navegador, seja no desktop ou no celular, será impactado. E em todos os conteúdos e não somente no selecionado, como é no Google. Além de que o usuário não precisa instalar nada. Ele já faz parte do sistema da plataforma do contratante.

Podemos considerar que a importância do áudio nos veículos de imprensa é um ato respeitoso e necessário. De que forma essa tecnologia pode ajudar as marcas e suas campanhas publicitárias?

No primeiro momento, focamos nos veículos de imprensa. Agora que estamos começando a trabalhar marcas. Cantão, SalonLine e alguns e-commerces já assinaram com a gente. Fechamos também um grande cliente de festival de música que irá usar nosso áudio em todas as páginas. Não posso revelar números, mas a procura de marcas pela Audima está crescendo mais do que o previsto. Nossos dados demonstram que a ferramenta pode potencializar até 50% o tempo de permanência do site. Isso significa dizer que aumentamos a possibilidade de venda e disseminação de conteúdo. Nossos investidores estão bem felizes.

Quando o áudio ajuda a vender?

Vou te dar alguns números. Segundo o último senso realizado pelo IBGE, 19% da população no Brasil tem algum problema na visão. Sendo que 75% de pessoas com mais de 40 anos, apresentam dificuldade para enxergar de perto. De acordo com o Inep, 25% dos brasileiros são analfabetos, semianalfabetos ou são analfabetos funcionais, que é aquele que lê, mas não compreende. O Ibope, em 2011, realizou uma pesquisa que demonstrou que 50% da população aponta que a principal barreira para a leitura é a falta de tempo.

Os números não mentem. É muita gente que é deixada de fora na comunicação das marcas. Ao utilizar nosso sistema, elas irão se beneficiar em todos os sentidos. Primeiro porque a comunicação chegará a mais pessoas. E segundo porque é mais do que provado que marcas que respeitam os consumidores são mais bem vistas pelo mercado porque constroem uma conexão diferenciada e respeitosa. Podemos chamar de marketing do bem.

NOTINHAS DO TRADE

Coca-cola é a marca mais comprada do mundo

Pelo sétimo ano consecutivo, a Coca-Cola é a marca mais escolhida do mundo, de acordo com o relatório global Brand Footprint, da Kantar. O balanço revela 31 marcas de consumo de massa que foram escolhidas pelos consumidores mais de 1 bilhão de vezes nas prateleiras dos pontos de venda.

Na posição número 2, vem a Colgate como a mais escolhida globalmente. É a única marca comprada por mais da metade de todos os domicílios ao redor do planeta.

----

Prudential do Brasil inaugura teatro com seu nome

O teatro que funcionava no antigo edifício da TV Manchete, na Glória, está de nome novo. Com naming rights da Prudential, o charmoso espaço tem fachada assinada por Oscar Niemeyer e paisagismo de Burle Marx. O lançamento do teatro faz parte da estratégia de marketing e comunicação da seguradora, que tem por objetivo aproximar a marca ainda mais do público e conversar com novos nichos de mercado.

----

UCI tem novo trailer

A FLIX Media, o canal de entretenimento antes do início da sessão do cinema, começou a veicular o novo trailer de segurança institucional da UCI. Com patrocínio da Prevent Senior, a peça segue a linha de informar com humor.

----

Criativo se muda para MG

O redator Helmut Gondim, ex-TV Escola e responsável pela criação do slogan #ébomsaber do canal, foi contratado pela agência mineira 18 Comunicação. Com sólida experiência nacional e internacional, nas áreas de redação e direção de criação publicitária, ele retorna a Minas após dois anos de Rio de Janeiro.

----

Dica de trabalho: Game XP seleciona produtores de evento

A Game XP, evento que acontece de 24 de julho a 28 de julho, está selecionando 500 vagas de assistentes de produção que darão suporte as atividades relacionadas ao evento, visando atendimento, bilheteria e apoio a toda operação. O candidato deve ter experiência com atendimento ao público e é desejável vivência em eventos. Todas as vagas são elegíveis para pessoas com deficiência ou reabilitadas pela Previdência Social. Inscrição em https://site.vagas.com.br/PagEmprCust_personale_vagas.html

----

Festival LivMundi

A agência MashUp, de Luciane Coutinho, especializada na criação e execução de projetos de impacto socioambiental, anuncia a terceira edição do festival LivMundi. O evento vai reunir no Rio, durante o mês de junho, cariocas, brasileiros e estrangeiros para discutir formas de transformar o mundo e nossos territórios através da cultura da sustentabilidade. Com uma ação coletiva de agricultura urbana na Penha, ciclos de palestras na Casa Firjan e uma grande ocupação do Parque Lage - que integra o Parque Nacional da Tijuca -, essa edição terá oficinas, feiras, rodas de conversa e filmes no fim de semana de 15 e 16 de junho.