Jornal do Brasil

JBicho & Cia

JBicho & Cia

Daniela Calcia

Saiba como garantir um passeio seguro para o seu cão

Jornal do Brasil DANIELA CALCIA, daniela.calcia@jb.com.br

Quem tem bicho em casa levanta a pata! Uma das coisas mais legais que os cães nos proporcionam, além dos lambeijos, são os passeios. Não adianta acordar com preguiça, tem que levar a galera para rua. Quando adotei Amora da Suipa com a Bebel, que foi presidente por anos da instituição e nos deixou em 2016, ela sugeriu que passear com o cachorro 30 minutos pela manhã e 30 minutos à noite seria suficiente para o cão ficar tranquilo. Para garantir apenas boas lembranças no passeio com seu pet, tiramos algumas dúvidas com a médica veterinária Dra. Mariana Sui Sato, do Centro Veterinário Seres.

Macaque in the trees
Vacinação em dia garante passeio saudável (Foto: Pixabay)

A primeira orientação é manter a carteira de vacinação do seu pet em dia. “As vacinas evitam doenças. Para que ele possa manter contato com outros animais em segurança, a vacina antirrábica e vacina múltipla são fundamentais. A múltipla protege o pet de doenças como cinomose, parvovirose, leptospirose, hepatite infecciosa, coronavirose, adenovirose e parainfluenza e a vacina antirrábica protege o animal do vírus da raiva. Pelo risco de transmissão do vírus da raiva para humanos, a vacina antirrábica é obrigatória por lei. Nos filhotes, a vacinação é feita mensalmente até que ele complete 4 ou 5 meses de idade. Quando o cão é adulto, o tutor deve repetir a vacina contra a raiva anualmente”, diz a médica.

O bom senso dos tutores sempre deve prevalecer quando o tema é comportamento dos pets. A Bebel era irredutível e dizia que era contra soltar animais em espaços abertos. Como tenho uma que é fujona e uma vez a guia se desprendeu,  reforço a coleira e a guia dela com um mosquetão e uso a plaquinha de identificação com o nome dela e o número do meu celular. Mas em parques e ambientes fechados, tipo o ParCão da Lagoa, na Zona Sul do Rio, dá pra soltar. Algumas regras de etiqueta são importantes. “Alguns comportamentos indicam quando um cão se sente à vontade ou está retraído no ambiente. Por exemplo, um cão que desvia o olhar ou se vira de costas para outro animal, pode estar sinalizando desconforto com o ambiente e situação. Aí o melhor é se distanciar com ele para evitar uma ação agressiva”, recomenda a médica Mariana.

Macaque in the trees
Coleira, guia e plaquinha são fundamentais nos passeios (Foto: Pixabay)
 

É fundamental pensar no coletivo e manter a limpeza do local com o recolhimento das fezes dos pets, de preferência com folhas de jornais, para não agredir o meio ambiente com mais sacolas plásticas. A veterinária Mariana ainda lembra que os animais também devem ser vermifugados. “A vermifugação preventiva pode ser feita a cada 6 meses. E é importante que os donos dos pets recolham as fezes em espaços públicos porque existem verminoses que podem ser transmitidas pelo contato com fezes contaminadas. O tratamento de pulgas e carrapatos também é muito importante já que algumas doenças podem ser transmitidas por estes ectoparasitas”, orienta.

Água é fundamental, principalmente se a 'cãominhada' for demorada. Levo sempre um cantil térmico com um litro de água e potes de silicone, que dobram e são bem fáceis de carregar (Confira aqui). Em relação a brinquedos ou petiscos, a médica Mariana não recomenda em passeios nos espaços coletivos, pois podem estimular a disputa entre os animais. “É difícil saber a reação de um cão em um grupo e disputando uma bolinha ou um petisco. Por isso a dica em cachorródromos é aproveitar o espaço para interação e deixar os mimos para brincadeiras em casa ou com cães que você já conheça e saiba que são sociáveis”, finaliza. E como é o seu passeio? O importante é ser seguro e prazeroso, com muita diversão para tutores e cães.

O QUE ROLA POR AÍ

Ração para gatos com nova fórmula

Macaque in the trees
(Foto: Pixabay)

A marca Whiskas anuncia a reformulação de seus alimentos e traz novas receitas com cereais, vegetais e também com ingredientes naturais específicos para cada fase de vida do felino. As novas receitas trazem croquetes de vegetais, como cenoura e espinafre, e uma maior diversidade de formatos. “Toda formulação dos alimentos da empresa conta com a ciência do Centro de Nutrição e Bem-Estar Animal Waltham, uma referência mundial”, destaca Maria Fernanda Zaneti, Engenheira de Alimentos da Mars. “A evolução das receitas busca suprir as necessidades de cada etapa de vida dos gatos, com versões de alimentos específicos para filhotes, adultos e idosos”, reforça.

------

Alguém viu a Elis? Sumiu no bairro Santa Cecília, zona central da cidade de São Paulo

A cadelinha Elis está desaparecida e sumiu no bairro Santa Cecília, zona central da cidade de São Paulo. Ela é muito assustada, tem medo de pessoas e outros animais. É porte pequeno e está de coleira. Divulguem por favor para ela retornar para a ONG Natureza em forma com segurança. Caso alguém tenha alguma informação, favor entrar em contato pelos telefones: (11) 3151-4885, (11) 3151-2536, (11) 98522-9661 ou (11) 96322-3865. Obrigada a todos!

------

Medicamentos veganos para pets

Macaque in the trees
(Foto: Divulgação)

A onda vegana chegou aos medicamentos veterinários. O Grupo Tudodvet apresenta algumas novidades para os veterinários e público em geral. Ativos de origem vegetal podem ser usados para garantir a saúde dos pets, tratando desde dermatite, caspa e obesidade até inflamações graves e dor crônica. Um desses ativos é o Apiscalp. É um extrato natural extraído do aipo que tem efeito fungistático, ideal para tratar casos de psoríase e dermatites, e ainda diminui a proliferação da caspa, além de reduzir a oleosidade excessiva.

Outro aliado vegano é o Seaberry Ômega-7. Obtido do fruto de seaberry. Com alta concentração de ômega-7 (que é seis vezes mais potente do que o ômega-3), ele ainda traz os demais ômegas (3, 6 e 9) e antioxidantes importantes, como os polifenóis e as vitaminas C e E. Tem ação antioxidante e anti-inflamatória, sendo inclusive utilizado no tratamento da dor crônica.

Além disso, o medicamento não leva nada além da pura fruta: sua parte oleosa é revestida por seaberry em pó, sob um processo exclusivo de microencapsulamento, para melhor preservação dos nutrientes da “superfruta”. Esse ativo é uma alternativa vegana, pois o uso de ômegas de origem animal tem sido muito questionado na medicina veterinária.

------

Viralate-se! Adote Pipoca, está no RJ

Pipoca procura uma família! Ele tem aproximadamente 2 anos e é porte P (aproximadamente 8 kg), não cresce mais. É dócil e convive com outros animais. Será doado castrado e vacinado. Interessados entrar em contato no post do Facebook ou pelo zap: 21 99911-4493.

------

"Cachorródromo" é reaberto em Sampa

Macaque in the trees
(Foto: Divulgação)

O Parque Buenos Aires, em Higienópolis, São Paulo, foi totalmente revitalizado pela Petz com tratamento do solo, obras nos sistemas hidráulico e de drenagem além de novos equipamentos para segurança dos animais e tutores. O “novo” cachorródromo foi reaberto e batizado com o nome de ParCão. O portão de acesso foi trocado por entradas em dois tempos. O tutor entra com o animal, fecha a primeira porta e só então passa por um segundo portão para acessar o ParCão. O sistema aumenta a segurança e dificulta possíveis tentativas de fuga do animal. Foram instalados 10 bancos de madeira para o descanso dos tutores. A área é acessível a cadeirantes. O ParCão funciona das 6h às 19h e fica na Avenida Angélica, 1500, Higienópolis, SP.