As divisões do PSL

A bancada estadual do PSL que toma posse hoje, chega ao Palácio Tiradentes rachada em pelo menos três grupos distintos. Há o grupo liderado pela deputada Alana Passos e que representa a ala mais intimamente ligada à Família Bolsonaro e seu credo político. Outro grupo, representados por nomes como Alexandre Knoploch e Rodrigo Amorim é intimamente ligado ao clã B mas já construiu pontes com o governador W2, principalmente graças à atuação nos bastidores do vice-governador Claudio Castro, outrora chefe de gabinete do deputado Márcio Pacheco, o nome que os bolsonaristas tentaram construir como candidato à presidência da Casa contra o petista André Ceciliano. Finalmente há o terceiro grupo, que reúne ex-vereadores como Marcelo do Seu Dino e Gustavo Schmidt. É a turma da chamada “política como ela é”, que tem mais jogo de cintura do que ala heavy metal, radicalmente ideologizada à direita. Se algo os três grupos têm em comum é o pouco tempo de militância no PSL. Até os ácaros que se espalham pelos corredores do Palácio Tiradentes já fazem apostas sobre quantos deles terminarão o ano com a mesma filiação partidária.

Escoadouro

A informação é do secretário estadual de Fazenda, Luiz Claudio Rodrigues de Carvalho: os índices de sonegação fiscal do Rio são hoje quase quatro vezes superiores aos de São Paulo. No Rio a média é de cerca de 30% contra 7% no estado vizinho.

Acidente na Sapucaí

A 4ª Câmara Cível do TJ do Rio fixou em R$ 5 mil mensais a pensão alimentícia que a Liesa terá de pagar a uma das vítimas atropeladas por um carro alegórico da Paraíso do Tuiuti, no Carnaval de 2017. Maria de Lurdes de Moura sofreu fratura exposta nas duas pernas, traumatismo craniano e da face. O pagamento terá de ser feito de forma retroativa ao início da ação.

Bancada governista

Pelas contas do governador W2, pelo menos seis deputados estaduais deverão deixar nos próximos dias suas legendas, ameaçadas pela cláusula de barreira, e buscarão abrigo e conforto no PSC.

Tudo errado

Gente que entende do riscado achou estranhíssima a intervenção da Prefeitura no BRT. É que os principais problemas do sistema são de responsabilidade direta da administração municipal: asfalto, manutenção e segurança das estações. Essa turma acha que seria mais justo se o BRT pedisse intervenção na Prefeitura.

Rolo dos hospitais

Uma das promessas de campanha do governador W2, a retomada dos hospitais estaduais Albert Schweitzer, em Realengo, e Rocha Faria, em Campo Grande, municipalizados por Eduardo Paes, ficou para as calendas. O vice-governador Cláudio Castro explicou ontem que a promessa será cumprida, mas que para este ano não há dinheiro.

Acaba em samba

A Associação de blocos de Vila Madalena, que reúne mais de 30 agremiações no charmoso bairro boêmio de São Paulo, convidou o maestro João Carlos Martins para reger a sua orquestra, Bachiana, durante meia hora, no domingo de carnaval. O concerto foi marcado para às 16hs e contará com a participação de 25 músicos.

Dúvida

Perguntar não ofende. Então já que os vídeos “esquerdistas” para surdos que havia na biblioteca do IES foram retirados na gestão Michel Temer, o governo Bolsonaro vai mandar colocá-los de volta? Não é por nada não, é só pra gente ficar sabendo.

 

-----

LANCE LIVRE

Carlos Alberto Serpa começou a produzir o seriado Brasil Imperial, com os atores João Campany e Dedeh Mello, sob a direção de Alexandre Machafer. A USU está oferecendo um curso intensivo gratuito para quem for prestar exame da OAB. As aulas começam amanhã e as inscrições podem ser feitas no site www.usu.br