O bololô da educação

Um erro para não se repetir, foi o comentário mais publicável que correu pelos bastidores da área de educação do governo Bolsonaro após a confusa nomeação do economista Murilo Resende Ferreira para assumir a coordenação do Enem, tornada sem efeito em apenas um dia pelo ministro Onyx Lorenzoni. O problema é que o choro e o ranger de dentes não se dá pelos defeitos do ex-aluno de Olavo de Carvalho, mas sim pelas suas virtudes. “Membros do núcleo de inteligência do governo não deveriam ficar expostos no primeiro plano”, resmunga um graduado integrante do primeiro escalão do Ministério da Educação. “Existe um grupo que discute o Brasil há 14 anos e esse projeto não pode se perder por um ou outro nome a ser massacrado pela mídia”. Repete-se aqui a velha história de tentar matar o mensageiro. Murilo é um defensor das ideias do programa Escola Sem Partido e crítico do que classifica como “ideologia de gênero”. Ele já chamou professores brasileiros de “manipuladores” e seu currículo não aponta nenhuma experiência na área de educação básica. Sua indicação ainda foi vista com estranheza pelos quadros técnicos do Inep, porque saiu antes da nomeação do presidente do órgão, cargo que está vago desde a última segunda-feira. O engenheiro Marcus Vinícius Rodrigues, professor da FGV, é o nome mais cotado para o posto.

Aliás e a propósito

O professor da PUC-Rio Paulo Cesar Teixeira é o pule de 10 para assumir a diretoria do Ensino Básico do INEP. Ex-pesquisador do CEPAL ele exerceu funções de coordenação na PUC de Minas, foi próreitor das universidades Santo Amaro e Veiga de Almeida e reitor da Celso Lisboa.

Rebimbocas

Presidente em exercício da Comissão de Transportes da Assembleia, o deputado Dionisio Lins, pediu ao governador W2, que a vistoria de veículos realizada pelo Detran, passa a ser facultativa. “Não tenho dúvida que essa autodeclaração irá trazer grande constrangimento aos motoristas”, diz Dionisio. “Como o cidadão comum vai discordar de um técnico que lhe diga que graças a um equipamento que ele nunca viu na vida a emissão de gases de um veículo está irregular?”

O sem partido

Lançando mão de uma manobra jurídica, o ex-PM Carlinhos Silva concorreu, e ganhou, uma vaga de vereador pelo PTC de Nova Iguaçu. Só que passados dois anos, o edil “esqueceu” de se filiar formalmente ao partido, o qual exerce firme a liderança no parlamento municipal.

Cortina do passado

A direção estadual do PTC formalizou um protesto junto à Câmara de Nova Iguaçu. A briga já descambou pra baixaria braba com ameaças de violência, acusações de malversação de recursos do diretório municipal da cidade e um Netflix de videos com os grupos se digladiando pelo Youtube..

Tá pegando mal...

Ouvido anteontem à noite numa mesa da Fiorentina (onde mais?). “Mas esse novo governador gosta é de uma faixa, heim?”, comentou um boêmio exibindo na tela do Iphone uma foto de W2 ao lado do comando dos Bombeiros envergando o terceiro modelito (dessa vez vermelho) em duas semanas. A resposta não tardou: “Pois é, esse deve ter sido miss em outra encarnação”.

Papo reto

O governador W2 tem deixado um recado claro para os parlamentares que o procuram pedindo conselhos sobre a eleição para a Mesa Diretora da Assembléia. A maior preocupação do Palácio Guanabara não é eleger presidente mas, sim, montar um ampla base para aprovar as medidas necessárias ao projeto do novo governo. André Ceciliano já pode mandar fazer o terno da posse.

LANCE LIVRE

A presidente da Ceasa Rio, Miriam Blois, recebeu ontem a visita do Ministro da Agricultura e presidente do Conselho Nacional de Agências de Marketing Agrícola de Punjab, noroeste da Índia, Lal Singh.

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais