Noivas seguem para São Paulo

A novidade nacional da semana vem do setor do luxo: a estilista Marie Lafayette abre endereço paulistano

...
Credit......

O movimento da retomada ao possível normal motiva notícias variadas, desde tentativas de reabertura de portas até fortalecimento de marcas por meio de formação de grupos empresariais. A novidade nacional da semana vem do setor do luxo: a estilista Marie Lafayette abre endereço em São Paulo, sem fechar o ateliê carioca.

Marie é paulista, há 13 anos sua produção já é feita em São Paulo, dos 14 que abriu o ateliê em Botafogo, no Rio. “Agora, avaliando a quantidade de clientes de lá, abri perto do Anália Franco um espaço de 300m2, com jardim vertical, sala de espera como um jardim de inverno. E tenho dois sócios, o ator João Porto e sua mulher, a empresária Célia Arruda, o que possibilita manter a casa no Rio. Saí de Botafogo, mudei para a Gávea, também com um espaço maior”, conta Marie, que estudou moda na escola Felicidad Duce, em Barcelona e depois na prestigiosa ESMOD, de Paris. “mas se fosse estudar na Europa hoje, iria para a escola da Chambre Syndicale de Paris, mais tradicional e completa, com prioridade para a Alta Costura, que sempre foi meu foco. No princípio, até sofri bullying na ESMOD, porque na época a maioria dos alunos era asiática, o ensino era futurista, moderno. Contratei uma professora particular para aprender sobre estilos, bases tradicionais. Minha tese final foi sobre um dia de Grace Kelly, desde a camisola até o vestido de noiva, em réplicas em bonecas Barbie”.

Para Marie, a pandemia trouxe a oportunidade das cerimônias de casamento mais íntimas. O casamento civil é transformado em miniwedding, com no máximo 30 convidados, que depois celebram em um almoço em restaurante ao ar livre. “Assim, as noivas não ficam constrangidas por não comemorarem com uma festa de 500 pessoas. E usam vestidos mais leves, fluidos, muitas vezes em comprimentos midi. Para facilitar a escolha, estamos lançando uma coleção prêt-à-porter, mais minimalista, com toques clássicos. São exclusivos, e se a noiva for plus size, o modelo é reproduzido sob medida”.

O ateliê sob medida continua aberto, com a modelagem precisa da estilista, mas ela avisa que as encomendas devem ser feitas com bastante antecipação. “As rendas e cristais são importados, e estão levando no mínimo 90 dias para chegar. Mais o tempo do bordado, estes detalhes. Já tenho pedidos para daqui a um ano!” Mães, madrinhas e aniversariantes de 15 anos também são atendidas em prêt-à-porter ou no sob medida. Nas coleções prontas (prêt-à-porter) os preços começam em R$ 7 mil.

Por enquanto, Marie Lafayette vai variando o jeito de viajar entre Rio e São Paulo, às vezes, de avião, outras vezes, de carro ou ônibus leito. “Já tive a Covid, não pretendo ter de novo...”

A novidade, internacional é a reta final do acordo de compra da Tiffany´s pelo grupo LVMH (Louis Vuitton, Moet Gennessy). A moda não para.

Macaque in the trees
Marie Lafayette (à direita), com os sócios de São Paulo, o ator João Porto e a empresária Célia Arruda (Foto: Rafael Leal / divulgação)

Macaque in the trees
As noivas sob medida também continuam com exclusividade nos dois ateliês (Foto: Rafael Leal / divulgação)

Macaque in the trees
Marie Lafayette sugere noivas neste estilo minimalista para os miniweddings (Foto: Rafael Leal / divulgação)

Macaque in the trees
Modelo Juliana Costa com vestido da coleção prêt-à-porter no jardim em São Paulo (Foto: Rafael Leal / divulgação)



Marie Lafayette (à direita), com os sócios de São Paulo, o ator João Porto e a empresária Célia Arruda
As noivas sob medida também continuam com exclusividade nos dois ateliês
Marie Lafayette sugere noivas neste estilo minimalista para os miniweddings
Modelo Juliana Costa com vestido da coleção prêt-à-porter no jardim em São Paulo
...
Marie Lafayette (à direita), com os sócios de São Paulo, o ator João Porto e a empresária Célia Arruda