Suspeita de direcionamento em licitação do TSE

Suspeita de direcionamento em licitação do TSE

Ardilosa e bilionária operação está em curso em licitação do Tribunal Superior Eleitoral para adquirir 2,5 mil kits biométricos (Kits Bio), a fim de recadastrar eleitores por impressão digital. O valor inicial de R$ 29,5 milhões é só o começo. O software livre, barato, daria independência ao governo, mas o edital exige software da francesa Sagem, o único compatível com o do Instituto de Identificação da Polícia Federal.

Chave do mistério

Em 2009, a PF pagou US$ 46 milhões pelo sistema biométrico Afis, para emissão de passaporte. Cada cadastramento custa 7,5 dólares.

Top secret

O TCU questionou a compra do sistema Afis, mas a PF alegou que era assunto de segurança, portanto, secreto. Não se falou mais no assunto.

Mina de ouro

Convênio com o TSE prevê o repasse à PF dos dados de 150 milhões de brasileiros para montar sua base das novas carteiras de identidade.

Bilionário

Para emitir as novas identidades, a PF terá de adquirir mais sistemas biométricos Afis. Fazendo as contas, o negócio atingirá a US$ 1 bilhão.