Arqueólogos descobrem no Equador peças de cerâmica de cultura desconhecida

Um grupo de arqueólogos do Equador, Rússia e Japão encontrou fragmentos de recipientes de cerâmica com cerca de 6.600 anos, mas ninguém sabe a que cultura pertencem.

Os fragmentos foram descobertos no sítio arqueológico Real Alto, a uma profundidade de entre 75 centímetros e um metro, no complexo pouco estudado de San Pedro.

A análise por radiocarbono feita em um espectrômetro de massa mostrou que os fragmentos de cerâmica datam do período entre 4640 e 4460 a.C. Este período limita ou coincide com as primeiras etapas da cultura Valdivia, cujas pequenas figuras de cerâmica têm fama internacional e são uma espécie de símbolo do Equador.

Por sua vez, os fragmentos de San Pedro se diferenciam dos da cultura Valdivia pela composição decorativa e técnicas de aplicação.

Os fragmentos de cerâmica de San Pedro estão correlacionados com as peças encontradas durante as escavações arqueológicas em Real Alto e em outros sítios nos anos 70 e 80, mas não pertencem a nenhuma cultura em particular.