Jornal do Brasil

Ciência e Tecnologia

Humanidade pode extinguir recursos do Sistema Solar, alertam especialistas

Jornal do Brasil

Recentemente, um grupo de cientistas alertou que os anéis de Saturno podem vir a desaparecer devido às futuras explorações humanas.

Segundo o Inverse, exploradores de asteroides e bilionários da tecnologia podem saquear as pedras preciosas do espaço, incluindo os anéis gelados de Saturno, em um futuro próximo.

Macaque in the trees
Terra (Foto: Pixabay)

Em um estudo realizado, um grupo de pesquisadores sugeriu que os governantes apresentassem um conjunto claro de diretrizes que devem ser seguidas estritamente por todos na indústria espacial, segundo o portal International Business Times.

"Se não pensarmos sobre isso agora, seguiremos adiante como sempre e, daqui a algumas centenas de anos, enfrentaremos uma crise extrema, muito pior do que a que temos na Terra", afirma Martin Elvis, astrofísico sênior do Observatório Astrofísico Smithsonian.

Elvis faz referência às agências espaciais privadas, como a SpaceX e Blue Origin, de Elon Musk, que estão mudando o conceito de indústria espacial.

A SpaceX, por exemplo, está tornando as viagens espaciais mais "acessíveis", inclusive prometendo que o turismo espacial será uma realidade no futuro. Além disso, a empresa espera estabelecer colônias humanas em outros planetas, como Marte.

Por sua vez, a Blue Origin projeta um futuro onde milhões de pessoas poderiam viver e trabalhar no espaço.

Ou seja, essa indústria multibilionária do futuro despertou o interesse dos investidores. No entanto, colocar esses projetos em prática pode acabar com os recursos do nosso Sistema Solar.

Perante essa situação, os especialistas propõem o "princípio do 1/8", onde apenas um oitavo do nosso sistema espacial seria explorado pelos humanos, enquanto o restante seria protegido.

Além dos anéis de Saturno (que poderiam ser uma fonte de pedras preciosas e gelo), a humanidade também poderia extrair ferro no cinturão de asteroides.

O conteúdo do cinturão de asteroides é tão abundante que, mesmo que apenas um oitavo seja extraído, seria um milhão de vezes mais do que o ferro existente na Terra.

Outro exemplo é o Hélio-3, que pode ser encontrado na Lua e pode valer mais que o ouro em um futuro próximo.