Jornal do Brasil

Ciência e Tecnologia

Nasa descobre origem da poeira cósmica ao redor de Mercúrio e Vênus

Jornal do Brasil

Astrônomos da Nasa revelaram a existência de um anel de poeira cósmica na órbita de Mercúrio, comunicou a revista The Astrophysical Journal.

Ironicamente, os cientistas descobriram o anel de poeira na órbita do planeta mais próximo ao Sol "por acaso", quando buscavam evidências de uma região livre de poeira perto do astro.

Segundo os investigadores, foi encontrada "uma fina neblina de poeira cósmica de 15 milhões de quilômetros de largura na órbita de Mercúrio". A descoberta foi possível graças ao uso de satélites que recolhem imagens estereoscópicas do Sol e que revelaram o padrão circular da poeira onde se projetava a luz solar.

Anteriores previsões indicavam que tanto a Terra, como Vênus atraem poeira espacial para suas órbitas graças às suas forças gravitacionais, mas se pensava que Mercúrio não compartilhava a mesma caraterística, já que o calor extremo do Sol vaporizaria de imediato a poeira cósmica, deixando a área "limpa".

A poeira cósmica são restos de colisões de asteroides e cometas em chamas. A importância de conhecer os limites onde o Sol "dissolve" a poeira espacial poderia dar informação sobre a formação de planetas no Sistema Solar interno.

Os astrônomos continuam buscando a zona livre da poeira ao redor da estrela.

A Nasa também realizou uma investigação sobre a origem da poeira cósmica perto de Vênus, sugerindo que provém de um "grupo de asteroides nunca antes detectados" que orbitam junto ao Sol.

"Creio que o mais emocionante desse resultado é que sugere um novo aglomerado de asteroides que provavelmente contém pistas sobre como o Sistema Solar se formou", assinalou Marc Kuchner, astrônomo e autor do estudo.