Jornal do Brasil

Ciência e Tecnologia

Astrônomos descobrem 'nuvem fóssil' que poderia revelar mistérios do Universo

Jornal do Brasil

Pesquisadores encontraram algo que poderia nos mostrar como era nosso Universo imediatamente após Big Bang, o momento em que tudo foi originado.

Astrônomos da Universidade de Tecnologia Swinburne, na Austrália, descobriram uma rara e espetacular "nuvem fóssil". "Em todos os lugares onde olhamos, o gás no universo está contaminado pelo desperdício de elementos pesados das explosões de estrelas", afirma o pesquisador Fred Robert.

Macaque in the trees
Universo (Foto: CC BY-SA 2.0 / John Smith)

Entretanto, o astrônomo observa que a nuvem em questão parece não ter sido tocada por estrelas há mais de 1,5 bilhão de anos após o Big Bang, explicando que caso a nuvem possua elementos pesados, devem ser menos de 10 mil vezes à proporção observada do Sol, podendo, assim, considerar uma verdadeira relíquia.

A descoberta foi possível graças à utilização do Observatório Keck, no Havaí, que abriga os maiores telescópios óticos e infravermelhos do mundo.

Além disso, eles encontraram um quasar que estava localizado atrás da nuvem de gás. Segundo os pesquisadores, o quasar emite um forte brilho, fazendo com que ele sirva como uma superfície de luz natural, iluminando o gás na nuvem e permitindo a observação de sombras espectrais de hidrogênio, conforme cita o portal Astronomy.com.

Em 2011, foram descobertas outras duas "nuvens fósseis", sendo que a primeira das duas foi encontrada acidentalmente, já que elas são muito raras e difíceis de serem vistas.

Michael Murphy, outro especialista do grupo de pesquisa, afirmou que a inspeção dessas relíquias fósseis do Big Bang dará a chance de saber quão raras elas são, ajudando a compreender como ocorre a formação de algumas estrelas e galáxias com gás no Universo jovem.