Jornal do Brasil

Ciência e Tecnologia

Nova prova de existência do Planeta X? Encontrado objeto mais distante do Sistema Solar

Jornal do Brasil

Na segunda-feira (17), pesquisadores norte-americanos anunciaram a descoberta do mais distante objeto do Sistema Solar, que se encontra a uma distância 100 vezes maior à da que separa nosso planeta do Sol.

O novo corpo celeste 2018 VG18 ou Farout (Distante) se encontra a umas 120 unidades astronômicas do Sol, sendo uma unidade astronômica correspondente à distância entre a Terra e a Estrela-mãe. Para se ter uma noção, o 2018 VG18 está 3,5 mais distante do que Plutão.

Macaque in the trees
Planeta X (Foto: Nasa)

"Tudo o que sabemos atualmente sobre o 2018 VG18 é a sua distância extrema ao Sol, seu diâmetro aproximado e sua cor", assinalou David Tholen, um dos pesquisadores.

O Farout foi fotografado pela primeira vez em novembro do Havaí com ajuda do telescópio de 8 metros Subaru. No início de dezembro, o telescópio de Magalhães no Chile confirmou sua existência.

Segundo observações, é provável que o objeto tenha cerca de 500 quilômetros de diâmetro, o que significaria que é um planeta esférico e anão. Além disso, possivelmente é rosa, o que sugere que é um corpo celeste rico em gelo.

"Devido à distância extrema, o 2018 VG18 orbita muito lentamente, provavelmente demorando mais de 1.000 anos (terrestres) para fazer uma viagem ao redor do Sol", sublinhou Tholen.

O novo objeto foi encontrado pela mesma equipe que descobriu em outubro um planeta anão, apelidado de Duende e situado 2,5 vezes mais longe do que Plutão. Os cientistas estão estudando estes objetos distantes do Sistema Solar para buscar a influência gravitacional do suposto Planeta X, também denominado "nono planeta".