Jornal do Brasil

Ciência e Tecnologia

Dinossauro até então desconhecido estava 'se escondendo' em opalas na Austrália

Jornal do Brasil

Opalas encontradas por mineiros em uma área deserta da Austrália acabaram sendo fragmentos de fóssil de dinossauro desconhecido até agora por paleontólogos.

Batizado como Weewarrasaurus pobeni, tendo ganhado nome do campo de opala Wee Warra, que fica perto da pequena cidade de Lightning Ridge, onde foi encontrado, e do comprador de opalas Mike Poben, que doou os espécimes para cientistas da Universidade de New England (Austrália). A descoberta foi publicada pela revista científica PeerJ.

A criatura recém-descoberta viveu uns 100 milhões de anos atrás no Cretáceo, quando o atual deserto de Lightning Ridge ainda era um espaço verde e exuberante. Trata-se da primeira nova espécie de dinossauro a ser nomeada no estado australiano de New South Wales em quase um século.

De acordo com pesquisadores, Weewarrasaurus pobeni pertence a uma espécie de ornitópodes — um subgrupo de dinossauros herbívoros bípedes que inclui iguanodonte e Parassaurolofo — e era do tamanho de um cachorro.

Macaque in the trees
Opalas encontradas por mineiros em uma área deserta da Austrália acabaram sendo fragmentos de fóssil de dinossauro (Foto: AFP)

Os autores da descoberta detalharam que há 100 milhões de anos, nas imediações de Wee Warra, havia um mar que logo começou a secar, incrementando, assim, a acidez da areia. A sílica, escapada de pequenas pedras, estava concentrada em muitos espaços, inclusive nos espaços presentes nos fósseis dos animais.

Finalmente, o nível de acidez reduziu com o tempo, e a sílica endureceu ao ponto de se transformar em opalas, ou seja, moldes naturais que conservaram com precisão a forma dos fósseis dos dinossauros.

A descoberta dará chance a paleontólogos de compreender melhor a diversidade da fauna pré-histórica da localidade que, segundo sugere novo estudo, era rica em espécies de ornitópodes.