Jornal do Brasil

Ciência e Tecnologia

Explosão enigmática de supernova confunde cientistas

Jornal do Brasil

Uma equipe internacional de astrônomos se viu surpresa pela explosão estranha de uma estrela que causou o surgimento de uma supernova 170 milhões de anos atrás, segundo o estudo, publicado no jornal Astrophysical Journal Letters.

Trata-se de uma estrela Ia, cuja explosão é produzida quando uma anã branca rouba matéria mais do que necessária de uma estrela próxima e se torna desequilibrada, informa o jornal científico.

Estes corpos celestes geralmente aumentam brilho gradualmente nas três semanas anteriores ao desaparecimento, mas no caso da SN 2018oh (também conhecida como ASASSN-18bt), de acordo com observações de fevereiro, o processo foi completo em apenas alguns dias.

Astrônomos, chefiados por Brad Tucker da Universidade Nacional da Austrália, detectaram uma emissão de luz adicional dois dias depois da explosão da SN 2018oh. O excesso de brilho pode ser explicado pela interação entre a substância expulsada da anã branca e uma estrela próxima.

No entanto, cientistas não encontraram nenhum vestígio de estrelas grandes na zona, fazendo com que passassem a pensar na possibilidade do surgimento de supernova pela fusão com outra anã branca. Existem também outras teorias, como a distribuição incomum de material radioativo na estrela que explodiu.

A explosão foi registrada no dia 4 de fevereiro pelo observatório ASAS-SN, pelo Telescópio Espacial Kepler e por outros. A luz foi detectada por telescópios uns 170 milhões de anos depois da produção da explosão. Cientistas caracterizaram descoberta como uma observação sem precedentes do início da morte de uma estrela e creem que o achado possa ser útil na hora de definir a taxa de explosão do Universo.