Jornal do Brasil

Ciência e Tecnologia

Rocha espacial azul é mais estranha do que astrônomos pensavam

Jornal do Brasil

Uma nova investigação do corpo celeste 3200 Faetonte, que em dezembro de 2017 passou muito perto da Terra, indica que se trata de "um estranho asteroide azul que criou [a chuva de meteoritos] de pedras preciosas e se aquece tanto que metais são fundidos em sua superfície", declarou o pesquisador Teddy Kareta, líder do estudo.

Dados obtidos sobre o corpo celeste misterioso foram apresentados na 50ª reunião anual da Divisão de Ciências Planetárias da Sociedade Astronômica norte-americana, que aconteceu em 23 de outubro na cidade de Knoxville, Tennessee, EUA, informou o site Cnet.

Macaque in the trees
Rocha espacial azul (Foto: CC BY 2.0 / Kanijoman / Concepción artística del asteroide)

Dono de uma cor incomum, o 3200 Faetonte é uma rocha espacial de 6 km de diâmetro. Além do mais, ele é um dos poucos asteroides que produzem chuva de meteoritos. Sem contar que ele realiza passagens extremamente próximas ao Sol, o que faz a sua superfície atingir temperaturas de 800°C.

Embora ele tenha sido descoberto em 1983 e tenha "uma órbita altamente excêntrica", é "difícil dizer se Faetonte é mais um asteroide ou um cometa morto", destacou Kareta, que descobriu que ele é mais obscuro e possui uma superfície mais homogênea, contradizendo o que cientistas pensavam sobre o corpo celeste.

Astrônomos esperam que novos dados sejam úteis para a missão espacial DESTINY+ da Agência de Exploração Espacial Japonesa (JAXA), que planeja se dirigir ao asteroide misterioso na próxima década.



Recomendadas para você