Endometriose: Teresópolis terá mutirão de cirurgia

A endometriose continua crescendo no Brasil, principalmente entre as mulheres mais jovens, por falta de informação de pacientes e profissionais de saúde. É uma doença silenciosa que vem causando devastação no organismo feminino, e está virando caso de saúde pública no país.  Como  ainda é pouco conhecida por médicos e pacientes, a endometriose destrói vários órgãos das pacientes, até ser descoberta. 

Pelo grau de destruição da doença,  os países mais avançados da Europa e os Estados Unidas já mantêm campanhas permanentes de esclarecimento e reciclagem para médicos, para possibilitar um diagnóstico precoce e deter o avanço da doença. No Brasil, grande parte dos ginecologistas ainda não sabe como lidar com a doença, que  tem sido detectada cerca de 10 anos depois de seu aparecimento, o que pode mutilar a mulher. Uma das principais consequências da endometriose é a infertilidade. Cerca de 50% dos casos de infertilidade  nas mulheres do mundo inteiro  são causados pela doença, que atinge 15% da população feminina entre 15 e 45 anos.

Os principais sintomas da endometriose são cólica menstrual intensa, sangramentos na urina ou nas fezes e dor forte durante o ato sexual.

O Instituto Crispi, Clínica Gama, Endocentro e o Hospital São José, realizarão o II Meeting Serrano de Endometriose – RJ e II Mutirão Serrano de Endometriose nos dias 9, 10 e 11 de agosto, no SESC Teresópolis.  O evento, sem fins lucrativos e destinado a médicos, estudantes de medicina, profissionais de saúde e população em geral, faz parte da Campanha Nacional de Conscientização da Endometriose e mantém o seu propósito de alertar os profissionais de saúde e comunidade em geral sobre a importância do diagnóstico precoce e da sistematização do tratamento da Endometriose, doença que afeta cerca 15% das mulheres em idade reprodutiva em todo o Brasil.

Em sua segunda edição, o Mutirão de Endometriose oferecerá o tratamento adequado para  seis pacientes do SUS portadoras de Endometriose Profunda, por meio de cirurgias minimamente invasivas realizadas por uma equipe multidisciplinar, que é referência nacional no assunto, e transmitidas ao vivo para os participantes do encontro, diretamente do Hospital São José.

 Dia 9, a parte da manhã é toda dedicada ao público leigo, com a seguinte programação:

MANHÃ – Público Alvo- População em geral

9:00h  às – 9:30h – Credenciamento

9:30h às 10:00h - Abertura do evento

10:00h - CONFERÊNCIA 1 - O que é o atendimento da endometriose pela rede pública no Brasil - Romualdo Gama 

Abertura do posto de Vacinação em parceria com o Rotary Club que irá funcionar durante o evento

10:00h às 12:00h – Roda de conversa - Atividades direcionadas à população a cargo da equipe do Ambulatório de endometriose do Hospital São José de Teresópolis, com abertura para discussão informal e orientações à população.

O evento será composto de: 

- Palestras de informação e conscientização sobre endometriose para a população em geral;

- Mesas redondas e palestras;

- Seis (6) cirurgias de endometriose profunda com transmissão ao vivo de duas salas para o auditório do evento;

- Treinamento em simuladores para médicos e estudantes de Medicina.

A Campanha e o mutirão são coordenados pelo professor Claudio Crispi, que estará  à frente das equipes que vão realizar as cirurgias. O Dr. Romulado Gama é o coordenador do evento em Teresópolis.

 Para participar do evento, o médico, residente ou estudante de medicina deverá acessar [email protected] ou os telefones 21.2742.3340 e 98405.5500.  As inscrições são gratuitas e as vagas são limitadas.