Pesquisadores descobrem evidência de presença de água líquida em Marte

Agência Europeia afirma que haveria reservatório sob camadas de gelo

Pesquisadores da Agência Espacial Italiana detectaram sinais de um grande reservatório de água no subterrâneo do pólo sul de Marte. A descoberta foi feita por meio do uso de radares da Agência Europeia do Ambiente (AEA) e foi publicada na revista Science, gerando novas questões sobre a geologia do planeta e de seu potencial para abrigar vida.

O lago subterrâneo seria amplo, com cerca de 20 quilômetros de largura. A descoberta levanta a possibilidade de haver mais água e, talvez, vida em Marte, afirma o texto da Science.

"Este é um resultado surpreendente que sugere que a água em Marte não é um escoamento temporário, como revelado em descobertas anteriores, mas um corpo de água persistente que cria condições para a vida durante longos períodos de tempo", disse Alan Duffy, professor associado da Universidade Swinburne na Austrália, que não esteve envolvido no estudo.

Marte é agora frio, árido e deserto, mas costumava ser quente e úmido e abrigava muita água líquida e lagos há pelo menos 3,6 bilhões de anos.

Ainda não está claro como a água se mantém em estado líquido em temperaturas muito mais baixas que 0°C. Os pesquisadores supõem que a presença no reservatório de magnésio, cálcio e sais de sódio, todos presentes no solo marciano, reduziu o ponto de congelamento da água.

Com Agência AFP