Facebook diz que vai suspender conta de usuários com menos de 13 anos de idade

O Facebook começa a ser mais rigoroso em relação às políticas de utilização de sua plataforma por usuários menores de 13 anos de idade. A empresa pretende  suspender as contas de usuários com menos de 13 anos de idade. 

A criação do perfil já era proibida pela rede social, mas a empresa atualizou as orientações “para revisores para que suspendam qualquer conta que eles encontrem que tenham forte indício de ser de alguém de menos de 13 anos, mesmo que a denúncia da comunidade seja por outra razão que não a idade da pessoa”.

O comunicado da vice-presidente global de Políticas de Conteúdo do Facebook, Monika Bickert, foi realizado após uma reportagem do canal de televisão britânico Channel 4, que levantou questões sobre a política de privacidade.

“Nós não permitimos que pessoas com menos de 13 anos tenham uma conta no Facebook. Se alguém denunciar uma pessoa por ter menos de 13 anos, o revisor analisará o conteúdo do perfil (texto e fotos) para tentar descobrir sua idade. Se o revisor acreditar que a pessoa tem menos de 13 anos, a conta será suspensa e a pessoa não conseguirá usar o Facebook até que forneça provas da sua idade”, completou Monika em um texto intitulado “Trabalhamos para manter o Facebook um lugar seguro”.

O texto também fala de “políticas claras sobre o que é permitido no Facebook e processos estabelecidos para aplicar as regras”.

Aumento para revisão de denúncias

O comunicado informa ainda que a empresa aumentou sua equipe para revisar denúncias de conteúdos na rede social. “Estamos dobrando o número de pessoas trabalhando em nossas equipes de segurança e proteção neste ano para 20 mil. Isso inclui mais de 7.500 revisores de conteúdo”, explica. Monika Bickert  ainda destacou sobre a  a dificuldade de se fazer esse trabalho.

“Mais de 1,4 bilhão de pessoas usam o Facebook todos os dias ao redor do mundo. Elas publicam em dezenas de idiomas diferentes: tudo, desde fotos e atualizações de status até vídeos ao vivo. Decidir o que permanece e o que é removido envolve uma análise difícil sobre questões complexas – que vão desde bullying e discurso de ódio a terrorismo e crimes de guerra”. Ela explicou que foram realizados três grandes eventos na Europa em maio, onde foram realizadas troca de ideias para ouvir defensores dos direitos humanos e da liberdade de expressão, além de especialistas em contraterrorismo e segurança infantil”, finaliza.