México recupera peças pré-colombianas da Alemanha após 10 anos de disputa

Duas peças pré-colombianas de mais de 3.000 anos de antiguidade apreendidas na Alemanha de um colecionador de arte foram recuperadas pelo México após quase 10 anos de litígio. 

Trata-se de dois bustos de madeira dos Olmecas, considerada a "cultura mãe" da Mesoamérica por ser a mais antiga da região, de acordo com um comunicado conjunto da chancelaria mexicana, da secretaria de Cultura e do Instituto Nacional de Antropologia (INAH) divulgado nesta terça-feira (20).

Os bustos, encontrados no sítio arqueológico de El Manatí, no estado de Veracruz, foram apreendidos na Alemanha em 2008 pelo Escritório de Investigação Criminal de Baviera de Leonardo Petterson, que a imprensa descreve como polêmico colecionador de arte. Acredita-se que Petterson tenha mais obras mexicanas.

"México tomou as atitudes legais pertinentes para conseguir sua recuperação", disse o comunicado.

As duas obras antropomórficas foram devolvidas às autoridades mexicanas na sede do Colégio Estatal de Arqueologia de Munique.