IBGE: 116,1 milhões de brasileiros acessaram a Internet em 2016

Segundo uma pesquisa, divulgada nesta quarta-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 92,4% dos 116,1 milhões de brasileiros que acessaram a Internet em 2016 utilizavam aplicativos de troca de mensagens para se comunicar.

Os dados foram apurados pela Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Contínua de 2016.

Segundo o estudo, 76,4% dos usuários de internet no país acessam a rede para assistir vídeos, programas, séries e filmes. Já as chamadas de voz e vídeo são utilizadas por 73,3%. 

O e-mail, por outro lado, vem ficando para trás e foi utilizado por 69,3% dos usuários, apesar de já ter sido a principal razão para acesso à internet em 2005. Hoje em dia o correio eletrônico fica restrito aos processos relacionados ao trabalho.  

Na opinião dos autores da pesquisa, as pessoas têm priorizados formas de comunicação mais rápidas, oferecidas por aplicativos de celular.

Em geral, foi destacado o predomínio do acesso à internet por celular, utilizado por 94,6% das pessoas na rede em 2016. A pesquisa alega que o aparelho permite acesso em redes públicas ou gratuitas.

Apesar de o celular ser predominante (94,6%), outras formas de acessar a Internet são via microcomputador (63,7%), tablet (16,4%) e televisão (11,3%), revela o estudo. 

No Norte e no Nordeste, o uso do microcomputador é mais baixo, mas a banda larga móvel é o principal tipo de conexão nos domicílios.

Nos domicílios, a pesquisa identificou que 77,3% utilizavam banda larga móvel e 71,4% banda larga fixa, enquanto 49,1% usavam ambos os tipos. No Norte, metade das residências (50,9%) se conectavam à Internet apenas por banda larga móvel. Cada vez mais irrelevante, a conexão discada foi identificada em apenas 0,6% dos domicílios.

Na mesma pesquisa, IBGE destaca que 41,1 milhões de pessoas ainda não possuem aparelho próprio para uso pessoal, o que representa 22,9% da população de 10 anos ou mais. O preço do aparelho foi apontado por 25,9% das pessoas como o principal impeditivo.

>> Sputnik