Congresso no Rio debate medicina e espiritualidade

A fé e a oração têm sido apontadas como ferramentas de fundamental importância para o tratamento e cura das doenças, tanto por parte do paciente quanto dos profissionais de saúde. Segundo pesquisas realizadas em vários hospitais do mundo, a fé e a oração dão equilíbrio ao corpo, mente e espírito. A religiosidade interfere diretamente na aceitação e melhora das doenças, já que o paciente se mostra mais aberto ao tratamento e mais confiante.

“A Fé e a oração como mecanismos de cura” é um dos principais temas que serão abordados durante o 11º MEDNESP – Congresso de Medicina e Espiritualidade que será realizado de 14 a 17 de junho de 2017, no Centro de Convenções do Riocentro, no Rio de Janeiro.

Segundo o Dr. Luiz Felipe Guimarães, presidente do Congresso, na relação médico ou profissional de saúde e paciente, os cuidados essenciais tem início na primeira abordagem. Para que haja empatia é necessário que apareçam  logo as necessidades do paciente e a disposição e vontade do profissional de auxiliá-lo. Tudo fica mais fácil quando existe este encontro inicial. A fé de ambas as partes vai dar mais segurança e confiança ao paciente ajudando muito no tratamento das enfermidades. Não se trata aqui de simplesmente acreditar. Há que entender que, quando um indivíduo inclui em seu trajeto de cuidado a visita ao médico, significa que outras tentativas de terapêutica (autocuidado, cuidados caseiros, busca a parentes e amigos) não deram os resultados esperados. Desta forma, ele busca o médico não apenas para que este lhe identifique a doença, mas para que juntos possam compreender o por quê do adoecimento e de estar sentindo a doença desta maneira.

Canguilhem (2002) dizia que a doença não é um conjunto de alterações orgânicas pura e simplesmente. Duas pessoas podem ter a mesma enfermidade, porém terem doenças diferentes. É a lógica da subjetividade que dá caráter à doença. Assim sendo, alguém com câncer pode sentir-se menos doente do que alguém com a garganta inflamada pois, nos dizeres de Boff “não é a parte que dói, mas seu todo existencial”. Neste sentido, a fé faz sentido, a partir de sua etimologia. Sendo originária da palavra grega “pistis”, significaria “agir em acordo com aquilo que creio e proclamo” ou seja, fazer conforme eu falo. No encontro entre médico e paciente, o que deve se buscar sobretudo é dar essa atenção necessária para que ambos se reencontrem com suas verdades e possam vivenciar sua fé, ressignificando o processo de adoecimento, transmutando-a em oportunidade de cuidado e autotransformação.

Dr. Luiz Felipe conta, como exemplo, que o professor Miguel Couto no inicio de sua vida em suas palestras, sempre dizia que nos cuidados com o paciente 90% era tratamento e 10% empatia, nos cuidados de qualquer doença. Quando já aposentado, durante homenagem que lhe foi prestada ele disse: eu errei! Hoje eu diria que para tratar um paciente é importante auscultar a alma em 90% e escutar o paciente 10%.

Assim, a boa relação médico/paciente deve se estabelecer no primeiro encontro, com o profissional ouvindo cuidadosamente a história e dores do enfermo, para avaliar de que forma ajudá-lo, tanto no plano físico como espiritual. Só assim será criada uma relação de confiança e credibilidade, ou nos dizeres de C. G. Jung: “conheça todas as teorias, domine todas as técnicas mas, ao tocar uma alma humana, seja apenas uma alma humana.”

MEDNESP 2017

O MEDNESP, que tem como  objetivo  mostrar os estudos e trabalhos médicos que usam a fé, a oração e a espiritualidade como participantes nos tratamentos e processos de cura,vai reunir cerca de 4.000 médicos  de várias especialidades e profissionais de saúde, além de pessoas interessadas no tema,  do mundo todo, que vão debater, entre outros assuntos, o espiritismo nos hospitais, a questão espiritual dos animais,  transtornos mentais e espiritualidade, o câncer na visão espírita,  estudos científicos  a respeito do passe espírita e a divulgação dos resultados de uma pesquisa sobre a religião e religiosidade do brasileiro. No MEDNESP 2017, teremos também  a participação da Dra. Olfa Mandjouhi, pesquisadora francesa que irá trazer os resultados de suas pesquisas em Saúde e Espiritualidade, além da presença de Chris Roe, pesquisador inglês que vai falar dos resultados de suas pesquisas em Mediunidade. 

SERVIÇO: 

Evento: MEDNESP 2017 - XI Congresso de Medicina e Espiritualidade 

Data: 14 a 17 de junho

Local: Centro de Convenções Riocentro – Jacarepaguá – Rio de Janeiro (RJ).

INSCRIÇÕES ABERTAS

Contato: 21 2215-4476  ou www.mednesp2017.org.br