'WSJ': Google parte para o ataque contra a União Europeia

Reportagem afirma que investigação já levou a várias acusações formais contra a empresa

Matéria publicada nesta sexta-feira (4) pelo The wall Street Journal conta que o Google, gigante americano de internet, contra-atacou na quinta-feira (3) as acusações da União Europeia de que abusa da posição dominante nos serviços de compras e de publicidade on-line, fortalecendo sua defesa contra os reguladores da UE.

Segundo a reportagem há anos, a Comissão Europeia, a autoridade antitruste do bloco, investiga minuciosamente se o gigante de buscas da Alphabet Inc. vem abusando de sua dominância ao impedir a participação de rivais em vários mercados. 

O Journal afirma que a investigação já levou a acusações formais direcionadas a várias práticas de negócios do Google, potencialmente expondo a empresa a bilhões de euros em multas e exigências de reformulação em suas operações.

The Wall Street Journal reitera que em uma resposta formal à UE, o Google voltou a defender nesta quinta-feira (3) a forma como posiciona anúncios de produtos de varejistas em alguns resultados de busca, dizendo que não há provas de que os anúncios prejudicam os sites de comparação de preços. A empresa argumenta que, em dispositivos móveis, as pessoas compram com aplicativos independentes.

“O processo revisado pela Comissão ainda se baseia em uma teoria que não se enquadra na realidade de como as pessoas compram on-line”, disse Kent Walker, principal advogado do Google.

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais