Ortopedista fala sobre uso de salto alto

Embora sejam elegantes e estilosos os sapatos de salto alto também são perigosos

Muitas vezes os sapatos são utilizados em ocasiões especiais e requerem um toque de charme, mais feminino. O que não se discute é que muitas vezes o salto sobrecarrega os joelhos e causa alguns problemas a longo prazo.

O uso frequente pode alterar a maneira de andar, provocar alteração postural, prejudicar a articulação, torções, fraturas, deformidades nos dedos, joanete e até tendinite. “Salto alto pode ocasionar em uma lesão patelar, além de alterações no quadril e na coluna se usado em excesso”, alerta o Dr. Pedro Baches, ortopedista e diretor clínico da SO.U Ortopedia.

De acordo com o ortopedista, as mulheres têm uma tendência natural a ter os joelhos voltados para dentro, o que contribui para a inclinação da patela – osso que protege a articulação do joelho, favorecendo o desgaste. Nas mulheres, os problemas nos pés são até quatro vezes mais frequentes e estima-se que mais de 3% da população acima de 55 anos pode sofrer com artrite no joelho.

Vale lembrar que o peso também é um fator muito importante na hora de utilizar o salto. “Quando estamos descalços, o peso do corpo está distribuído por toda estrutura, ao calçar os sapatos com salto, há um sobrepeso nos dedos do pé e, consequentemente, no joelho”, alerta Dr. Pedro Baches.

O “vilão dos joelhos” também provoca o encurtamento da musculatura posterior das coxas, e se for usado em excesso poderá desenvolver uma tendinite do tendão de Aquiles. A dica para quem não quer abandonar o salto é optar por modelos mais confortáveis e largos, para distribuir o peso do corpo e estabilizar a planta do pé. Evitar o uso de salto no dia a dia também é essencial.

Pode ou não pode?

Salto alto e fino – Favorece o desgaste da cartilagem da patela, pois as mulheres optam por flexionar os joelhos para manter o equilíbrio e pode ocasionar tendinite.

Salto Anabela e plataforma – São considerados mais “confortáveis” e distribuem melhor o peso do corpo, prevenindo danos aos joelhos.

Salto bico fino – Propício a desenvolver lesões nos pés, joelhos e coluna, além da deformidade nos dedos.

Modelos com saltos largos e bico quadrado podem estabilizar o tornozelo e evita a deformidade nos dedos.

Sobre o Dr. Pedro Baches Jorge

O Dr. Pedro Baches Jorge é formado em medicina pela Santa Casa de São Paulo. Possui especialização em ortopedia pela Santa Casa de São Paulo, especialização em oncologia ortopédica pela Santa Casa de São Paulo e especialização em cirurgia do joelho, medicina esportiva e artroscopia pelo Instituto Cohen. É membro titular da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia, membro do corpo clínico do Hospital Sírio Libanês e Membro Fundador do Núcleo de medicina esportiva do Hospital Sírio Libanês, membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia do Joelho, membro titular da Associação Brasileira de Oncologia Ortopédica  e membro do Grupo de Trauma Esportivo da Santa Casa de São Paulo. Também é diretor clínico da SO.U Ortopedia.

Com uma equipe altamente qualificada formada por ortopedistas e traumatologistas, médicos do esporte e fisioterapeutas, a SO.U oferece aos seus pacientes atendimento humanizado e personalizado. Seus 3 centros, localizados na cidade de São Paulo, possuem altíssima tecnologia de saúde e sua equipe é formada por profissionais capacitados e experientes. A Clínica oferece atendimento especializado nas áreas de coluna, joelho, ombro e cotovelo, oncologia ortopédica, pé e tornozelo, punho e mão, quadril e um centro de medicina do esporte. Preparada para realizar atendimento clínico e reabilitar pacientes com lesões ortopédicas, traumatológicas e lesões esportivas, a SO.U tem como missão prevenir, tratar e reabilitar os pacientes de forma eficaz e responsável.