'CNN': Brasil apresenta o dobro de fetos com deficiência pelo Zika

Além da microcefalia, detectaram encefalite, mielite, encéfalomielite e Síndrome de Guillain-Barré

Matéria publicada pela CNN nesta sexta-feira (9) afirma que uma pesquisa divulgada pela Fundação Oswaldo Cruz relata que o número de bebês que nasceram com deficiências duplicou no Brasil desde o início da epidemia de Zika, em outubro de 2015.

Segundo reportagem da CNN, a Fiocruz analisou registros hospitalares brasileiros entre 2008 e o final de fevereiro de 2016. Entre as doenças identificadas estão não apenas a microcefalia, mas também a encefalite, mielite, encéfalomielite, e também a Síndrome de Guillain-Barré.

> > 'CNN' Zika doubled devastating birth defects in Brazil

De acordo com o texto da CNN, por conta do Zika vírus o número de bebês que nasceram com deficiências fetais aumentou para 100 a cada 100 mil nascimentos. Entre novembro de 2015 e fevereiro de 2016, 1.027 crianças foram hospitalizadas com má-formação.

No Nordeste, até setembro de 2015, eram 40 bebês nascidos com má-formação a cada 100 mil. Em novembro do ano passado, o número pulou para 170 a cada 100 mil, finalizou a CNN.