Aposte nos probióticos para desinchar

Bactéria do bem. Assim podemos definir os probióticos, microorganismos semelhantes Aos que temos na nossa flora intestinal.

As nossas bactérias naturais possuem um ciclo de vida muito curto, principalmente se não nos alimentamos de forma correta, ingerindo poucas fibras. E é aí que os probióticos entram em cena, pois irão repor os nutrientes que estão escassos na flora intestinal.

Os lactobacilos são a nova aposta para quem quer desinchar, acelerar o processo de emagrecimento e ainda dar um up na saúde. Isso tem uma explicação! Quem quer perder peso, precisar regular o intestino, porque se ele não estiver pronto para absorver todos os bons nutrientes, ficará menos saudável e lento.

Segundo o endocrinologista Francisco Tostes, membro da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia , os probióticos são cepas de lactobacilos que podem ser usadas isoladamente ou em associações, dependendo de quais forem as indicações para seu uso. “Eles são utilizados para prevenção e tratamento da disboiose, que é a desregulação da flora intestinal, bastante frequente atualmente em função de estresse e má alimentação. Além disso, apresentam vários outros benefícios na prevenção de doenças como câncer, infecções e alergias”, explica Francisco.

O endocrinologista explica que os probióticos agem no organismo auxiliando na proliferação de bactérias benéficas e reduzindo as patogênicas. Essas são responsáveis por causar doenças infecciosas .

Para ajudar no processo de emagrecimento, devem ser consumidos alguns tipos de lactobacilos que auxiliam no metabolismo, armazenamento de gordura e níveis de ansiedade e fome. “Você encontra esses probióticos em alguns laticínios fermentados, como iogurtes, consumindo sachês comprados em farmácias ou manipulado. Mas só faça isso com recomendação médica, pois somente um profissional saberá o que é ideal para você, de acordo com suas queixas”, alerta Tostes.

A dose diária recomendada não tem uma regra. “Primeiro é necessário avaliar as principais necessidades do paciente para, inclusive, escolher quais lactobacilos usar em cada caso. Normalmente, ele é ingerido em jejum para sua melhor digestão e absorção”, explica Francisco.

Fonte: Dr. Francisco Tostes, endocrinologista pós-graduado em Clínica Médica e Endocrinologia e membro da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM).

 

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais