Rio ganhará instituto para estudos de pés diabéticos

O Cirurgião Vascular Jackson Caiafa, Presidente da Associação Carioca de Diabéticos do Rio de Janeiro e organizador da Semana de Prevenção à doença, que acontece em novembro com campanhas e iluminação do Cristo Redentor e durante o decorrer do ano em apoio às comunidades carentes, será homenageado em Maceió dia 29 próximo, dando nome a um Instituto para tratamento de feridas e pés diabéticos, especialidade abraçada há anos pelo médico que conseguiu com sua equipe montar Pólos de Atenção e reduzir drasticamente as amputações causadas pela doença.

Em setembro o Rio ganha uma filial do Instituto que estará promovendo palestras, cursos e atendimento ao público. Uma vitória para os cariocas que sofrem com o diabetes, que além de amputar milhões de pessoas, ainda é uma das que mais provoca óbitos no mundo.

Segundo Caiafa é uma grande honra receber esta homenagem e uma estimulante oportunidade trazer para a cidade um Instituto com essas características.  Segundo o cirurgião, o diabetes mellitus (DM) é considerado um problema de saúde pública em razão de sua alta prevalência e pelo fato de que a maioria dos seus portadores não têm um tratamento adequado e, portanto, ficam permanentemente expostos ao risco de desenvolver altas taxas de morbidade e mortalidade. “A análise dos registros contidos nas Declarações de Óbito Parcial, documento que registra as amputações nos hospitais do Estado do Rio de Janeiro, é uma das formas de se avaliar o impacto das amputações causadas pelo DM na sociedade” aponta Caiafa, lembrando que no Brasil, cerca de 13,4 milhões de pessoas possuem diabetes e mais de 18.000 membros são amputados anualmente por complicações do diabetes, segundo dados do Ministério da Saúde, em dados que são ainda muito subnotificados.

O Instituto Jackson Caiafa realizará avaliações, acompanhamento de alterações metabólicas, exercícios físicos supervisionados e atividades educativas com palestras, vídeos e oficinas para pessoas com diabetes mellius de tipos 1 ou 2. 

Muitos programas serão implantados para tentar diminuir as diversas complicações do diabetes, em particular as ligadas às vasculopatias e à neuropatia que podem levar às amputações.

Serviço: Instituto Jackson Caiafa

Fontes: Dr. Guilherme Pitta- Maceió (Presidente do Instituto em Maceió); Dr. Jackson Caiafa- Rio de Janeiro (Presidente da Associação Carioca de Diabéticos do RJ)