PCs ainda lideram compras online no Brasil, diz pesquisa 

A maioria dos usuários que fazem compras pela internet ainda utiliza os computadores como principal fonte de compra. 97% são usuários de PC, apenas 21% das compras são feitas em celulares e 12% em tablets.

O estudo, realizado pelo instituto de pesquisa Ipsos em parceria com o Mercado Pago, braço de pagamentos móveis do Mercado Livre, também mostra que, por outro lado, este cenário deve mudar nos próximos dez anos, com 87% dos internautas  acreditando que a maioria das compras será por celular ou tablet.

“Essa realidade já está mudando hoje. Dos nossos usuários, 63% navegam e fazem a pesquisa  no celular ou no tablet. Mas terminam a compra no PC”, afirma Celina Ma, responsável pelo marketing do Mercado Livre.

“Nossos clientes vivem hoje a batalha das multitelas (tablet, TV, celular, notebook). A briga pela atenção do consumidor às telas. Nós vivemos em um mundo conectado”, afirma Marcelo Coelho, direto do Mercado Pago.

A análise - realizada com dois mil homens e mulheres entre 18 e 64 anos de idade da América Latina, sendo 600 delas do Brasil - ainda revela que a boa parte dos consumidores da web, 41%, já compram por ali há mais de três anos. Por outro lado, 23% dos usuários compraram nos últimos três meses pela primeira vez.

Das principais motivações que levam os consumidores a pagar um serviço ou produto na rede, os internautas responderam: comodidade (74%), melhores preços (60%) e promoções (50%). E entre os aspectos mais importantes, apresentaram: segurança (64%) e confiabilidade (60%).

Futuro do consumo e Black Friday 

Para o futuro, a tendência de consumo ainda demonstra que o internauta quer mais novidades integradas com a chamada internet das coisas, conceito em que tudo está conectado na web. Dos entrevistados, 45% esperam ter opções de pagamentos personalizados; já 44% gostariam de pagar com reconhecimento digital; e 42% acreditam que escanear o código de barras com celulares também facilitaria no futuro.

“O consumidor tem que se sentir seguro. Ele tem que sentir confiança naquele meio de pagamento”, explica Celina. “Ele (consumidor) também é muito impaciente. Quer rapidez no modo de pagamento. Quer comodidade. Fazer uma compra de qualquer lugar, há qualquer momento”.

A pesquisa da Ipsos ainda revela que 62% dos consumidores gastaram na internet com serviços para casa (conta de água, luz, telefone, internet, celular, etc.). Seguido de produtos como celulares (58%), roupas e acessórios (50%), casa e decoração (49%) e eletrônicos (40%).

Para Celina, essa tendência deve se aplicar à Black Friday - tirando os serviços para casa e deixando apenas os produtos -, desse modo, celulares e eletrônicos devem ser os preferidos dos internautas para as compras.