Amizade de países no Facebook mostra laços coloniais 

A página Facebook Stories publicou um mapa que mostra a "amizade" entre países através do uso dessa plataforma e que conclui que as nações ainda mantêm estreitos laços com seus antigos colonizadores "através de uma continuidade que se vê claramente na língua, na cultura e nos laços econômicos que ressoam até hoje".

O mapa é resultado de um estudo de Mia Newman, graduada em Relações Internacionais em Stanford, que dedicará os próximos anos a se especializar em proteção civil em conflitos internacionais, segundo a explicação do trabalho. "A tecnologia aproxima distâncias e dissolve fronteiras. Os indivíduos podem estar em contato com seus amigos e familiares de formas totalmente novas independentemente de onde vivam", diz a apresentação do estudo. "Exploramos as conexões internacionais através do Facebook e encontramos algumas tendências, entre elas algumas previsíveis, outras totalmente inesperadas e umas ainda mais inexplicáveis".

No gráfico interativo (que é parte de uma aplicação dentro da própria rede social que compila histórias "extraordinárias" dos usuários) podem se encontrar algumas conclusões como, por exemplo, que o país "mais amigo" dos Estados Unidos é o México, depois o Canadá e em terceiro lugar a República Dominicana, ficando Reino Unido e Austrália em quarto e quinto lugares, respectivamente.

Isto se explica, diz o estudo, pelo fato de que "a partir de 2009 aproximadamente, 30% da população estrangeira residente nos EUA vem do México". No caso da República Dominicana, o estudo indica que esse país - qualificado de "a mais importante economia caribenha" com base em análises do governo norte-americano - suscita um forte interesse nos Estados Unidos "para a promoção de uma economia estável e vibrante (...), convertendo a ilha no sócio mais forte para negócios no hemisfério".

Já no caso de Reino Unido e Austrália, o informe aponta que a língua comum, a cultura, os negócios e o intercâmbio turístico como os principais laços.

Relações inesperadas

No plano sul-americano, a lista dos mais amigos da Argentina (Uruguai, Espanha, Chile, Paraguai e Peru, nessa ordem) é atribuída às correntes migratórias entre esses países. Em 2012 "Argentina teve 191 mil imigrantes do Chile, 158 mil do Peru e 551 mil do Paraguai", sendo que a relação com a Espanha se deve a que este país "governou a Argentina até 1816", diz o estudo. Às possíveis explicações desta relação deve-se agregar o caráter de falantes do espanhol dos membros deste grupo.

Já no caso do Brazil, o estudo mostra um caráter multilíngue em sua lista de países amigos. A lista está encabeçada por Portugal (português) e inclui, em ordem decrescente, a República Democrática do Congo (francês), Espanha (espanhol), Argentina (espanhol) e Japão (japonês). A relação com o país africano é atribuída às campanhas para diversificar o comércio internacional brasileiro realizadas pelo governo Lula, que foi o primeiro presidente brasileiro a visitar o Congo, em 2007.

Metodologia

O ranking entre os países se baseia no número de amizades do Facebook entre países e o número total de amizades do Facebook dentro de cada país. Para visualizar a relação de cada país com seus amigos mais próximos basta fazer click no círculo que corresponde ao seu lugar geográfico e a aplicação mostrará o círculo de amizade.

"Os países estão identificados com cores que indicam a que continente pertencem ou qual é seu idioma oficial. Um globo chamado 'A Closer Look' (um olhar mais de perto, em tradução livre) oferece uma seleção de dados históricos, econômicos, culturais, linguísticos e feitos culturais sobre a relação entre ambos países", informa a página.

"Uma das tendências mais contundentes que encontramos ao explorar este gráfico é o forte laço que permanece entre as nações e seus antigos colonizadores", conclui o estudo.