Apollo 13: há 42 anos, explosão no espaço interrompia missão 

Há 42 anos, uma explosão no tanque de oxigênio número 2 da Apollo 13 interrompia os planos dos Estados Unidos de realizarem a terceira missão a pousar na Lua. Lançada da Flórida no dia 11 de abril de 1970 com o comandante James Lovell, o piloto John Swigert e o piloto do módulo lunar Fred W. Haise, a nave foi resgatada no dia 17, no Pacífico. 

A história virou filme em 1995, com Tom Hanks, Kevin Bacon e Bill Paxton interpretando os respectivos astronautas.

Apesar de o objetivo final não ter sido atingido, a missão é considerada pela Nasa, a agência espacial americana, como uma "falha bem sucedida", já que foi possível aprimorar o conhecimento para casos de emergência e resgate.

Investigações apontaram depois que a explosão foi causada devido a modificações no sistema de oxigênio, que aumentaram a voltagem nos tanques de 28 para 65 volts. Contudo, os interruptores termostáticos não foram adaptados para a mudança e não resistiram ao superaquecimento.

Nasa impede leilão de objetos da Apollo 13 

Em janeiro deste ano, a Nasa impediu o leilão da caderneta usada pelo comandante James Lovell para refazer os cálculos e possibilitar o retorno da Apollo 13 à Terra.

A agência quer que artefatos utilizados em viagens espaciais não sejam comercializados.

Segundo a Heritage Auctions, empresa que leiloaria a caderneta de Lovell, as anotações no objeto foram feitas logo após o contato dos astronautas com a base, momento em que foi dita a célebre frase "Houston, we have a problem!" (Houston, temos um problema!). A expectativa era de que a peça, um manual de ativação do módulo lunar, atingisse um valor em torno de US$ 25 mil.