Pesquisa mostra que familiares preferem cuidar de pacientes em casa

Uma pesquisa realizada pelo Grupo Hospitalar Santa Celina mostra que 90% das pessoas que têm algum familiar doente, que precisa de atenção constante, preferem que o paciente seja tratado em casa. Os chamados "cuidadores" são pessoas designadas pela própria família para se responsabilizar pelos cuidados que o enfermo precisa no dia a dia. 

 “Realizamos o estudo porque é fundamental saber o que os cuidadores pensam, quais seus anseios e angústias. Eles são parceiros fundamentais na melhora da condição de saúde do paciente”, explica a Dra. Ana Elisa Siqueira, diretora do Grupo Hospitalar Santa Celina. 

Para justificar a preferência pelo tratamento em domicílio, a maior parte dos entrevistados disseram que a proximidade com a família é um fator positivo do home-care; outros afirmaram acreditar que em casa os pacientes recebem melhor tratamento. Alguns cuidadores mencionaram, ainda, o fato de internações hospitalares aumentarem o risco de infecção.

“O maior desafio é cuidar da parte de higiene, dar banho, às vezes lidar com sangue”, conta Marco Riciolli, cujo irmão, de 29 anos, sofre de esquizofrenia e está em tratamento domiciliar com o Grupo Hospitalar Santa Celina desde junho deste ano. “Por outro lado, o maior benefício é ter a família presente, cuidando. A alimentação também fica muito melhor”, afirma Marco.