Acrobacia trabalha musculatura de forma artística e atrai jovens

Luísa Côrtes, Jornal do Brasil

RIO DE JANEIRO - É possível levar uma vida saudável e manter um corpo bonito através de movimentos lúdicos, que estimulam a criatividade, a coordenação motora e o humor. Quem já assistiu às apresentações de dança e de circo de companhias como Cirque du Soleil, Grupo Corpo e Intrépida Trupe, não imagina que é possível aprender acrobacias e tornar o exercício parte da rotina, mesmo que seja apenas como uma atividade de lazer.

A acrobacia é um exercício físico que, além de movimentar a musculatura, trabalha a criatividade, a concentração e a mente dos praticantes. Mistura teatro, suor e paixão, e, assim, conquista muitos jovens. A estudante Luar Maria Escobar, 21 anos, começou a fazer aulas de expressão corporal no colégio, quando tinha 16 anos, e nunca mais parou. Estava à procura de uma atividade física, já tinha feito musculação e não tinha gostado, até que encontrou a acrobacia. Hoje, em vez das duas aulas semanais, pratica acrobacia aérea todos os dias da semana, participa de apresentações da Intrépida Trupe e se dedica às atividades corporais integralmente.

Depois que eu entrei nas aulas, comecei a me interessar por diversas formas de arte e de exercícios. Faço faculdade de cenografia e dança, além das aulas diárias no tecido. Comecei a ter mais consciência do meu corpo e de meus limites - afirma Luar, que costuma se equilibrar em panos com cerca de 6 metros de altura.

Os praticantes de acrobacia destacam o exercício como diferente , pois estimula a consciência do próprio corpo e estimula o lado artístico, mas reconhecem que a necessidade da musculatura forte impulsiona a procura por outra atividade física que ajude a desenvolver os músculos. A estudante da Escola Companhia do Circo, em Campinas, Maíra Aggio, de 21 anos, diz que precisa puxar ferro para ganhar mais corpo e força, desde que resolveu seguir como profissional na área. Entretanto, a jovem não gosta da musculação.

Os acrobatas unem todas as artes, buscam movimentos perfeitos e dão criatividade ao corpo. É uma atividade única, que me diverte, acima de tudo, melhora o meu humor e me deixa feliz. A musculação é importante como complemento, mas não é um exercício completo afirma Maíra, que se mudou do Rio para Campinas após descobrir que a cidade paulista é o melhor centro de treinamento para o trapézio de balanço , exercício acrobático de sua preferência.

Para ingressar na acrobacia é indispensável a orientação profissional e a prática de exercícios de alongamento antes das aulas, segundo o chefe do Setor de Ortopedia do Hospital Memorial, André Lopes Quintas. Ele acredita que, por ser um exercício de impacto e de posições extremas, a atividade é recomendada aos jovens acima de 14 anos. Já o professor e acrobata da Companhia Intrépida Trupe, Leonardo Senna, afirma que não existem restrições. As crianças podem, sim, fazer acrobacias, mas a partir de exercícios de sensibilização e percepção corporal.

Como a acrobacia exige muita força física, os iniciantes devem ter disciplina e perseverança para superar as dores das primeiras aulas e o medo de fazer alguns exercícios. Senna diz que, diferentemente da musculação, em vez de levantar uma pequena quantidade de peso inicialmente, na primeira aula acrobática, o aluno deve sustentar de cara o seu próprio peso.

Assim, a dor é imensa. Mas, em compensação, o retorno é imediato. O corpo tonifica rapidamente, ganha flexibilidade, força e capacidade de alongamento. É possível perceber uma grande diferença nos braços, nas pernas, nas costas, no abdômen. Além disso, os alunos melhoram a cada dia. O medo de altura acaba, os limites são superados, junto com a dor. Aí, é só aproveitar e se apaixonar pela atividade.