Bíblia mais antiga é disponibilizada na internet

Jornal do Brasil

DA REDAÇÃO - Cerca de 800 páginas do exemplar mais antigo da Bíblia foram restauradas e estão disponíveis para consulta na internet. O Codex Sinaiticus foi manuscrito por quatro escribas gregos em couro animal, um material conhecido como velino, na metade do século 4, no período em que o imperador romano Constantino, o Grande, adotou o cristianismo como religião oficial de Roma. O material pode ser visto no endereço eletrônico www.codexsinaiticus.org.

Nem todo o documento sobreviveu aos estragos do tempo, mas as páginas remanescentes incluem todo o Novo Testamento e a cópia mais antiga dos Evangelhos escritos em diferentes momentos depois da morte de Cristo por quatro apóstolos: Mateus, Marcos, Lucas e João.

O projeto envolveu especialistas de Grã-Bretanha, Alemanha, Egito e Rússia, e, segundo eles, apresenta muitas possibilidades de pesquisa no futuro.

Codex Sinaiticus é um dos maiores tesouros escritos do mundo afirma Scot McKendrick, diretor de manuscritos ocidentais da Biblioteca Britânica, em Londres. Este manuscrito de 1.600 anos é uma janela para se entender o desenvolvimento do início do Cristianismo. E se trata de uma evidência em primeira mão de como o texto da Bíblia foi transmitido de geração a geração.

A versão original do Codex Sinaiticus continha cerca de 1.460 páginas cada uma medindo 40 cm por 35 cm. Por 1,5 mil anos, o manuscrito ficou preservado em um mosteiro na Península do Sinai, no Egito. Em 1844, ele foi encontrado e dividido entre Egito, Rússia, Alemanha e Grã-Bretanha.

Acredita-se que o documento resistiu ao tempo porque o ar do deserto é ideal para a conservação do pergaminho e porque o mosteiro permaneceu intocado por todos esses anos.

Os textos incluem numerosas revisões, acréscimos e correções realizados ao longo de sua evolução.

O Codex é provavelmente o maior livro encadernado a ter sobrevivido afirmou McKendrick. Em termos críticos, ele marca o claro triunfo dos códices encadernados sobre os rolos (de papiro), um importante marco para determinar a maneira pela qual a Bíblia cristã veio a se transformar em texto sagrado.