Gripe suína: Europa contabiliza seu segundo óbito, na Escócia

Jornal do Brasil

DA REDAÇÃO - País mais afetado pela gripe suína na Europa, o Reino Unido contabilizou domingo a segunda morte no país causada pelo vírus da influenza A (H1N1). São as únicas mortes ocorridas no continente europeu devido à pandemia.

A informação veio do governo da Escócia. Um aposentado de 73 anos morreu domingo à noite em um hospital da cidade de Paisley, depois de contrair a doença. O nome da vítima não foi revelado a pedido da família, mas se sabe que ele sofria de outros sérios problemas de saúde.

Estamos respeitando esse direito da família, enquanto eles lidam com sua perda afirmou Nicola Sturgeon, secretário de Saúde da Escócia. Gostaria de assegurar que o risco ao público continua baixo, mas é necessário que cada um faça o possível para frear a contaminação pelo vírus, sempre lembrando de alguns procedimentos básicos de higiene completou.

Foi também na Escócia, onde há 922 casos confirmados, que havia ocorrido a primeira morte. Jacqueline Fleming, de 38 anos, foi a primeira vítima fatal, há duas semanas, no primeiro caso de morte fora do continente americano.

Jacqueline já havia sofrido um derrame cerebral e tinha passado por terapia intensiva em Glasgow. Ela morreu no último dia 13 após ter dado à luz uma criança de seis meses. O garoto, Jack, morreu no dia seguinte ao parto.

O Reino Unido é a nação onde se concentram o maior número dos casos europeus. São 4.250 gripados mais da metade dos 6.092 em toda a Europa. Em todo o mundo, são quase 60 mil pessoas infectadas, conforme os dados da Organização Mundial da Saúde até sexta.

Durante a realização do Festival de Glastonbury, famoso pela presença de bandas de rock, três pessoas foram retiradas por apresentar sintomas da gripe suína: dois adolescentes e uma criança.

Entre sexta-feira e sábado passados, União Europeia, Suíça e Luxemburgo já haviam confirmado 70 novos casos da gripe suína entre sexta-feira e sábado. Quarenta e oito dessas ocorrências foram registradas na França. Tambem houve registros de novos casos em países como Bélgica, Chipre, Dinamarca, Estônia, Grécia, Irlanda, Eslovênia e Suécia.