Pfizer tem lucro 18% menor devido à concorrência de genéricos

Agência EFE

NOVA YORK - A companhia farmacêutica americana Pfizer anunciou que no primeiro trimestre do ano obteve um lucro de US$ 2,784 bilhões (US$ 0,41 por ação), valor 18% menor que o do mesmo período de 2007. A empresa justificou a redução no ganho devido à forte concorrência enfrentada pelos remédios genéricos. Excluindo itens especiais, o lucro foi de US$ 0,61 por ação, 10% menos que no primeiro trimestre do ano anterior, quando a ganho foi de US$ 0,68 por ação.

A maior fabricante mundial de remédios teve no primeiro trimestre receitas no valor de US$ 11,848 bilhões frente aos US$ 12,474 bilhões dos três primeiros meses do ano passado, o que representa uma redução de 5% na mesma base de comparação. O presidente e executivo-chefe da Pfizer, Jeff Kindler, afirmou por meio de um comunicado que os resultados do primeiro trimestre "estão em linha' com as expectativas.

Kindler considerou que os resultados desses dois anos 'não são comparáveis' devido à perda de monopólio nos Estados Unidos da Norvasc (contra a pressão alta), em março de 2007, e do antihistamínico Zyrtec, em janeiro de 2008, que a companhia deixou de vender nessa mesma. Os resultados da Pfizer são piores que o esperado pelos analistas, que tinham calculado um lucro por ação de US$ 0,66 e receita no valor de US$ 12 bilhões.

O executivo-chefe da Pfizer assegurou que no primeiro trimestre muitos de seus novos produtos continuaram registrando boas vendas, incluídos o Sutent (contra o câncer) e Chantix (um produto para deixar de fumar), e destacou as fortes vendas no mundo todo do Lipitor (contra o colesterol). Pfizer reafirmou suas perspectivas de lucro para o conjunto do ano fiscal 2008. As ações da Pfizer, que fazem parte do índice Dow Jones Industrial, registravam hoje na média sessão na Bolsa de Nova York perdas de 2,94%, sendo negociada a US$ 20,48.