Carnaval SP: Casa Verde decidirá futuro de invasor da apuração 

Eduardo Moraes, advogado de Tiago Ciro Tadeu Faria e membro da Império de Casa Verde, disse que a escola irá decidir em uma reunião do conselho de disciplina sobre seu futuro na agremiação. Tiago é o principal responsável pelo tumulto na apuração do Carnaval de São Paulo, no dia 21 de fevereiro.

O advogado acompanhou nesta terça-feira (28) o depoimento do presidente da escola, Alexandre Furtado, ao delegado Luís Fernando Saab na Delegacia Especializada em Atendimento ao Turista (Deatur). O carnavalesco deixou o prédio rapidamente, por volta das 19h30, e não falou com a imprensa.

Moraes disse que nem a sociedade nem a escola aprovam a atitude de Tiago Faria. O advogado também contou que no dia da apuração não havia apenas diretores na área reservada às agremiações, mas não foi a Império de Casa Verde que deu a pulseira de acesso ao invasor da mesa.

Segundo ele, a escola recebeu oito credenciais. Porém, a Liga Independente das Escolas de Samba alega que distribuiu 10 pulseiras para cada escola. De acordo com a Império de Casa Verde, Tiago é membro da agremiação e não dirigente.

Investigação 

O delegado Saab disse que os depoimentos desta terça-feira trouxeram novas informações ao caso, mas não irá revelá-las para não prejudicar o andamento das investigações. Desde a última quinta-feira (23), 17 pessoas já foram ouvidas.

De acordo com o delegado, Tiago Faria poderá ser chamado novamente para depor e há a possibilidade de todos os envolvidos serem indiciados.

Saab também disse que a Polícia Civil não trabalha com a hipótese de ajuda da Gaviões da Fiel para encontrar os responsáveis pelo incêndio na alegoria da Pérola Negra - prometida pelo vice-presidente da escola, Vagner da Costa em seu depoimento. "Nossos homens estão em campo", disse o delegado.

Na próxima quarta-feira (29) devem ser ouvidos Solange Rezende, presidente da Mocidade Alegre, e Sidnei Carriuolo, presidente da Águia de Ouro.

Entenda o caso

Faltando apenas uma nota dez para assegurar o título da Mocidade Alegre, Tiago Ciro Tadeu Faria, 29 anos, integrante da Império de Casa Verde, invadiu a área de apuração, tomou o último envelope das mãos do leitor e o rasgou.

Após o início da confusão, três suspeitos foram flagrados em vídeo ateando fogo em um carro alegórico. Eles usavam camisas da escola de samba Gaviões da Fiel, mas a polícia investiga ainda o envolvimento de integrantes de outras agremiações no tumulto, entre elas a Vai-Vai, a Império de Casa Verde e a Camisa Verde, segundo o delegado Osvaldo Nico Gonçalves, da Deatur.

O tumulto fez com que o Gonçalves anunciasse a detenção do principal responsável por ele: Tiago Faria. Cauê Santos Pereira, 20 anos, integrante da Gaviões da Fiel, também foi detido, por atirar objetos. De acordo com o major da Polícia Militar de São Paulo, Alexandre Gaspariano, cinco integrantes de escolas de samba foram detidos.

O tumulto se espalhou no entorno do Sambódromo. Torcedores foram filmados chutando os portões próximos à área da dispersão e, pouco depois, um carro alegórico da Pérola Negra foi incendiado por um grupo identificado pelo delegado como parte da Gaviões da Fiel. A alegoria tinha estrutura de palha, representando um índio gigante, e acabou totalmente destruída pelo fogo.

Na própria terça-feira (21), uma reunião extraordinária entre a Liga das Escolas de Samba e os diretores das agremiações foi montada para decidir o desfecho do Carnaval 2012, que deixou o título com a Mocidade Alegre.