Jornal do Brasil

CadernoB - Programa

Isabella Taviani no Imperator, Bianca Madruga na Galeria Ibeu, ColaborAmerica no Museu do Amanhã, Tack Festival no Parque Lage, Aniversário do restaurante Skunna...

Jornal do Brasil CADERNO B, cadernob@jb.com.br

Isabella Taviani encerra turnê no Imperator

Sábado, 30

A turnê que comemora os 15 anos de carreira de Isabella Taviani fecha seu giro pelo Brasil na cidade natal da artista, o Rio, neste sábado (30), no Imperator. “Passou tão rápido… E, ao mesmo tempo, foram tantos e tantos momentos importantes! Esse show é a minha forma de comemorar! A hora de dizer 'muito obrigada' cantando as músicas que as pessoas escolheram como parte da trilha sonora delas! E isso é uma enorme alegria e responsabilidade!”, diz a artista, que está desde abril de 2018 excursionando com o show.

Macaque in the trees
Isabella Taviani (Foto: Divulgação)

A apresentação do Imperator viajará no tempo em set list recheada de seus maiores sucessos com novos arranjos. No repertório, músicas como Foto Polaroid, Presente-passado, Raio X, A Canção que Faltava, Diga Sim Pra Mim, Luxúria, além do single mais recente A Vida Vive Sem Você, uma típica balada à la Isabella Taviani: emotiva e confessional. E do álbum tributo aos Carpenters, Isabella interpreta Close To You e Only Yesterday. A banda que acompanha a artista conta com Lourenço Monteiro (bateria), Marco Brito (teclados), Caio Barreto (guitarra e Violão) e Alexandre Katatau (baixo).

SERVIÇO: Isabella Taviani - 15 anos, eu e você! / Imperator – Rua Dias da Cruz, 170 - Méier / 30 de novembro / Sábado, às 21h / Pista, plateia inferior e balcão – R$ 80 (inteira) / R$ 40 (meia) / Classificação – Livre / Abertura da casa 1h antes do evento

*****

Tack Festival no Parque Lage

Sábado, 30

Repetindo o sucesso do último ano, desembarca no Parque Lage, neste sábado (30), a segunda edição do Tack Festival, evento de inovação, tecnologia e criatividade, que tem por objetivo gerar transformação a partir de ideias e da capacidade de realizar. Foi idealizado para desenhar novos rumos para questões que impactam e ajudam moldar uma nova cultura, uma nova forma de pensar e agir. 

Macaque in the trees
Tack Festival no Parque Lage (Foto: Divulgação)

Emoldurado pela paisagem do Cristo Redentor, o evento gratuito, que acontece das 9h às 20h, oferece para toda família palestras, debates, atividades infantis, artísticas e culturais, além de feira gastronômica, com comidas que representam todas as regiões do Brasil. A tecnologia também estará presente com oficinas de programação, codificações e games voltados para crianças e adolescentes, viagens virtuais via Google Expeditions e criação de imagens em 360º com câmera cardboard. Cinema ao ar livre, caminhada ecológica, recreação infantil com atividades circenses, como oficina de malabares, bola de sabão gigante, musicalização e show de palhaços, além de uma exposição de artes visuais também fazem parte da programação. “O Tack Festival é um lugar onde pessoas e ideias se encontram, onde a informação se conecta à diversão e onde a vontade de aprender, fazer e empreender ganha uma nova dimensão”, comenta André Carrano da ID Cultural, responsável pela realização do evento.

SERVIÇO: Tack Festival 2019 / Dia: 30 de novembro / Hora: 9h às 20h / Local: Parque Lage.: R. Jardim Botânico, 414 – Jardim Botânico / Entrada grauita / www.tackfestival.com

*****

Marcus Lucenna comanda o forró no terraço do Imperator

Sábado, 30

O cantor, compositor e cordelista Marcus Lucenna se apresenta neste sábado (30), a partir das 17h, no terraço do Centro Cultural João Nogueira, o Imperator, no Méier. Com entrada franca, o show faz parte do projeto Forró Lánalaje, que acontece todo o último sábado do mês sempre com uma nova atração de forró. O artista potiguar radicado no Rio cantará sucessos do seu mais recente álbum, "Marcus Lucenna na Corte do Rei Luiz", que celebra seus 30 anos de carreira, completados em 2019, além de clássicos de grandes nomes do forró, como Luiz Gonzaga, Jackson do Pandeiro, João do Vale, Trio Nordestino e Alceu Valença. O artista (violão e voz) sobe ao palco na companhia de Lucão (sanfona), Marcelo Oiticica (zabumba) e Fellipe Redó (triângulo).

Macaque in the trees
Marcus Lucenna (Foto: Divulgação)

Poeta-cantador, membro da Academia Brasileira de Literatura de Cordel (ABLC) e ferrenho defensor da cultura popular nordestina, Marcus Lucenna é representante dos músicos no Fórum Forró de Raiz RJ. Em 2019 está completando 30 anos de carreira musical, que teve início com seu primeiro LP (Cantolínia Psicordélica), lançado em 1989, pela Polygram, uma das maiores gravadoras à época. De lá para cá, lançou 15 álbuns e apresentou-se em diversos estados do país, compartilhando palco com músicos como Fagner, Elba Ramalho, Ednardo, Geraldo Azevedo e Tânia Alves.

Natural de Mossoró (RN) radicado no Rio de Janeiro, ocupou por 6 anos o cargo de gestor do Centro Municipal Luiz Gonzaga de Tradições Nordestinas, a Feira de São Cristóvão. Na sua militância em favor da cultura nordestina no Rio, destacou-se não só por impedir que a Feira fosse retirada do bairro por força da especulação imobiliária, como liderou o movimento que a levou para dentro do Pavilhão de São Cristóvão, onde está localizada até hoje.

Seu mais recente álbum ("Marcus Lucenna na Corte do Rei Luiz") celebra seus 30 anos de carreira e presta reverência ao Rei do Baião, cuja morte também completou três décadas em 2019. O título do CD é o mesmo do seu mais novo livro, lançado recentemente, e que revisita suas trajetórias artística e pessoal, que se cruzam com episódios e figuras marcantes da história do forró.

SERVIÇO: Forró Lánalaje recebe Marcus Lucenna / Dia 30/11/2019 - a partir das 17h / Imperator - Centro Cultural João Nogueira / R. Dias da Cruz, 170 - Méier / Grátis.

*****

Restaurante Skunna completa 28 anos

Sábado, 30

O restaurante Skunna, em Vargem Grande, comemora aniversário na noite de sábado. Tudo embalado com música ao vivo (MPB) e, além dos pratos que fazem parte do cardápio, o chef Aylton Oliveira criou uma sugestão para a ocasião, o Camarão Mediterrâneo, camarões flambados com vinho branco, acrescidos de tomate cereja, pimentão vermelho, milho, ervilhas e acompanhados de arroz de açafrão, que serve duas pessoas, por R$157,00.

Macaque in the trees
Camarão Mediterrâneo, restaurante Skunna (Foto: Divulgação)

Para brindar a ocasião os clientes serão recebidos com uma taça de vinho branco ou tinto. "Agradecemos mais uma vez a fidelidade dos nossos clientes e habitués, motivo que nos honra e incentiva a trabalhar com afinco para que o ele tenha uma experiência aprazível", saúda o chef Aylton.

SERVIÇO: Skunna 28 anos / a partir de 19h30 / Estrada dos Bandeirantes, 23.363 - Vargem Grande. Tel. 2428.1213 / Funcionamento: 5ª, das 11:30h às 24h, 6ª e sábado 11h30 às 00:30h, e domingo das 11h30 às 19h. Número total de mesas: 27 mesas, com capacidade para cerca de 110 pessoas. Aceita Visa, Elo, Dinners, Mastercard, Amex e Maestro. Estacionamento no local. www.skunna.com.br

*****

ColaborAmerica promove “A Arte do Encontro” no Museu do Amanhã

Sábado, 30

Em sua quarta edição, o ColaborAmerica desembarca pela primeira vez no Museu do Amanhã, neste sábado (30). Serão 24 atividades distribuídas em palestras, painéis, oficinas e debates que unem profissionais de diferentes áreas e países para discutir temas como cultura pré-competitiva, desperdício de alimentos e cidadania global. Sob o tema “A Arte do Encontro”, o evento, totalmente gratuito, será divido em três espaços - Auditório, Observatório do Amanhã e Hólos - com atividades que giram em torno do fenômeno mais humano que há: o encontro. Realizado pela D+3, Sistema B, MateriaBrasil e OUISHARE Global com co-realização da Rastro, Hólos, Museu Vivo e Multisentidos, o ColaborAmerica tem patrocínio da Coca-Cola Brasil, apoio Instituto C&A, BMW Foundation, Gerdau, Heinrich Böll Stiftung, Europa, Itabus e Selina e o Museu do Amanhã como parceiro institucional.

Macaque in the trees
Colabora (Foto: Divulgação)

“Vivemos em um mundo hiperconectado. Tudo é rápido, tudo é muito. Mesmo assim, muitos se sentem sozinhos na multidão. Acreditamos que esse problema influencia no nosso dia-a-dia individual, mas também nos grandes problemas globais. Por isso, talvez a ação mais revolucionária seja a mais simples: o encontro." afirma Téo Benjamin, um dos curadores do evento e fundador da OVNI Lab, empresa de soluções criativas em tecnologia.

O Auditório contará com palestras e painéis curtos de até 30 minutos, que discutirão temas como políticas climáticas, igualdade racial, direitos humanos e intrapreendedorismo - prática que tem se tornado cada vez mais comum dentro das empresas, permitindo que os profissionais possam analisar cenários, criar ideias, inovar e buscar novas oportunidades e alternativas para melhorar o funcionamento da companhia.No espaço Observatório do Amanhã, painéis, rodas de conversa e oficinas aprofundarão temas como desenvolvimento sustentável e segurança de dados. Focado no autoconhecimento, o espaço Hólos contará com atividades práticas e participativas de troca e reflexão.

Entre os destaques da programação, a palestra envolvendo duas das maiores fabricantes de bebidas do mundo: Coca-Cola e Ambev. “Intrapreendedorismo e Cultura Pré-competitiva” vai falar sobre o projeto “Reciclar pelo Brasil”, maior programa de reciclagem inclusiva do país. Thais Vojvodic, gerente de sustentabilidade da Coca-Cola Brasil, e Filipe Barolo, gerente de relações institucionais da Ambev, vão compartilhar os desafios na implantação do projeto e o que levou duas empresas concorrentes a traçar estratégias de forma coletiva.

SERVIÇO: Data: 30 de novembro de 2019 / Horário: das 10h às 19h / Local: Museu do Amanhã / Endereço: Praça Mauá, 1 – Centro, Rio de Janeiro / A programação completa está disponível no http://colaboramerica.org onde as inscrições podem ser feitas.

*****

Nas águas que se escondem, no Correios, em Niterói

Sábado, 30

Macaque in the trees
Detalhe de bra de arte de Yoko Nishio (Foto: Divulgação)

No mês em que o palácio dos Correios completa 105 anos e o Espaço Cultural Correios Niterói comemora cinco anos de funcionamento, nove artistas mulheres vão ocupar os espaços comuns do local com a exposição "Nas águas que se escondem", que será inaugurada neste sábado (30).

“Queremos brindar o público com esta grande exposição de arte contemporânea para que as pessoas percebam a importância do palácio como espaço para a arte, afirma Denise Anne, diretora dos Correios Niterói.

Carolina Kaastrup, Edna Kauss, Fátima Pedro, Ivani Pedrosa, Myriam Glatt, Roberta Paiva, Talita Tunala, Vanessa Rocha e Yoko Nishio irão apresentar obras in situ, instalações, objetos, postais e vídeos que dialogam com a arquitetura eclética do palácio dos Correios, com sua função originária (como a troca de cartas e postais), com a localização e a paisagem que envolve o edifício e a história de Niterói, única cidade fundada por índios. “Água que se esconde”, que inspira e dá título à exposição, é uma das possíveis traduções do nome tupi da cidade de ‘Niterói (outrora "Nictheroy" ou "Nitheroy"), é

Segundo a curadora, Marisa Flórido, “a exposição, ‘Nas águas que se escondem’, revolve, como fazem as ondas e as marés, as camadas de memórias esquecidas, de histórias submersas, de trocas perdidas e atualizadas, de paisagens desveladas. “

O carteiro é o ponto de partida da coletiva, retratado na obra “s/ título”, composta por diversas camisetas produzidas pela artista Carolina Kaastrup, que trazem as formas geométricas e as cores do uniforme, dispostas na fachada do palácio. Entre o corpo do prédio e o do público, flâmulas flutuam ao vento, em fragilidades e persistências.

No centro das escadas, do 2º andar ao térreo, vindo na claraboia, Edna Kauss instala "Tempestas", obra nas cores azul, amarelo e verde, composta por tubos de poliuretano e cabos de luminosidade contínua. Tempestas do latim, de onde vem a palavra “tempestade”, significa “tempo entre dois momentos”, como um raio que divide o céu, como um signo de advertência.

Em uma mesa fica a obra "Voa depressa", da artista Fátima Pedro. Em alusão às cápsulas colocadas nos pés dos pombos-correio, a obra é composta por desenhos sobre papel, em forma de cilindro, com imagens de fragmentos do corpo de um pombo.

Já Ivani Pedrosa ocupa as balaustradas internas do varandão localizado no primeiro andar, com a obra "Ao Léu IV", uma instalação composta por letras cortadas em PVC com as cores da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos e as palavras "SIM" (amarelo) e "NÃO" (azul), além de bolas de isopor com tamanhos variados. A intenção da artista é subverter a telegrafia ao convidar o público para escrever sua palavra de ordem nas bolas de isopor, bem como resgatar o objetivo dos Correios: a escrita à mão de mensagens e missivas.

Myriam Glatt apresenta placas de papelões pintados em cores tonais e em dimensões variáveis, ao redor dos seis conjuntos de colunas do pavimento térreo. A obra "Imoscapos" intervém na arquitetura do palácio de 1914, no encontro de um material efêmero como o papelão e as colunas centenárias. "O real e o imaginário se unem nesse abraço, dando ao espectador que transita a experiência do convívio direto com a obra e o convidando a circular ao seu redor", explica a artista.

“Abape ende?”, em tupi antigo, significa “Quem és tu?”. Título da instalação de Roberta Paiva, composta por três puçás (rede em cone para pesca), contendo espelhos de bolsa com a pergunta "Abape ende?", que poderão ser retirados e levados pelo público. Roberta pretende devolver espelhos - objetos que eram dados aos índios pelos portugueses em troca de madeira - ao visitante não como um souvenir, mas como uma reflexão e uma interrogação a ser respondida: 'Afinal, quem és tu? O que trazes dos povos que aqui habitaram?'

Em alusão à "Revolta das Barcas", ocorrida em 1959 na estação das barcas e que levou ao protesto da população contra um serviço alternativo e ineficiente, Talita Tunala traz "Opus magnum", instalação composta por um barco desgastado de fibra de vidro de 1,35m x 3m, que a artista recupera para uso, e no qual ela intervém com desenhos, acompanhado de uma narrativa fabular que mistura história, ação e ficção. A obra se apresenta como um instante suspenso de uma ação que só será concluída posteriormente, após o encerramento da exposição, com o retorno do barco ao mar.

No térreo, no hall entre a escada e o elevador, a artista Vanessa Rocha apresenta "S/ título", um conjunto de aquarelas, no formato de postais (10cm x 15cm) dispostos em um display, que remetem a um tempo suspenso e abordam a precariedade da memória, da comunicação e das relações.

Com “Mirantes”, a artista Yoko Nishio reenquadra os dispositivos de segurança do edifício por meio duas estratégias: duas pequenas pinturas de câmeras de vigilância localizadas próximas às câmeras reais; e a colocação no piso do hall da entrada de quatro pequenos tablados circulares. Posicionados sob a mira das câmeras de segurança presentes no local, esses tablados convidam o espectador a pisar na sua superfície e a devolver a mirada, criando um jogo imaginário com os enquadramentos produzidos por tais dispositivos de vigilância.

SERVIÇO: “Nas águas que se escondem” – coletiva com nove artistas mulheres ocupa áreas comuns do Espaço Cultural Correios Niterói / Abertura: 30/11/2019, às 15h / Visitação: Até 18/01/2020 / Local: Espaço Cultural Correios Niterói / Endereço: Avenida Visconde do Rio Branco, 481 / Funcionamento: de segunda-feira a sábado, das 11h às18h (exceto feriados) / Entrada franca.

*****

Bianca Madruga inaugura exposição "Ponto de Queda" na Galeria Ibeu

Quarta, 4

Se ao meio-dia a luz intensa faz cegar, como se comporta a visão à meia-noite? Pensar o tempo a partir do espaço é uma das propostas da exposição "Ponto de queda", da artista Bianca Madruga, que será inaugurada no dia 4 de dezembro, às 18h30, fechando o calendário de 2019 da Galeria de Arte Ibeu. Com uma instalação, a artista utiliza o próprio espaço da galeria e elementos como relógios solares, som, luz e escuridão. Além disso, utiliza as medidas do mundo para pensar as do próprio trabalho: peso do corpo, duração das horas, distância das coisas, velocidade da luz. A curadoria é assinada por Cesar Kiraly.

“Ponto de queda” faz parte do conjunto de trabalhos diurnos da artista, que têm se desenvolvido a partir da ideia de horizonte, não apenas em sua ambivalência - no que diz respeito às noções de tempo e espaço -, mas, principalmente, por se tratar do modo como um povo pensa coletivamente o que está por vir. As estruturas apresentadas por Bianca carregam consigo um certo drama, a partir da ideia de queda. São estruturas feitas de pó, que devem se sustentar em uma lógica avessa a de uma construção.

“Um monte de cimento ou areia, pedra, que como um poste, aspiram a verticalidade. É preciso imaginar isso. Vai ruir, mas não dá para saber em quanto tempo. Muito por falta daquilo que aglutina", analisa.

"Parece bonito pensar que para que se vença a gravidade é necessária essa matéria aglutinante - talvez uma ou duas doses de água -, e que apenas a mistura bem cuidada desses elementos poderia trazer a dureza que os faria ascender. A matéria vai cair. Espera- se que caia. Espera-se desta vez, ao invés de olhar para o alto, que se olhe para o chão. São esses os primeiros desejos para essa exposição”, finaliza a artista.

SOBRE A ARTISTA: Bianca Madruga é artista visual. Vive e trabalha no Rio de Janeiro. Doutoranda em Artes Visuais na UERJ. Formou-se em filosofia pela Universidade Federal Fluminense (UFF). Artista Visual e Mestre em Estética e Filosofia da Arte pela Universidade Federal Fluminense. É fundadora e cogestora do espaço A MESA, no Morro da Conceição, desde 2015. Sua produção tem sido orientada a partir de duas práticas: práticas do meio-dia e práticas da meia-noite.

SERVIÇO: “Ponto de Queda", Exposição de Bianca Madruga / Encerrando calendário de 2019 da Galeria de Arte Ibeu / Abertura: 4 de dezembro (quarta-feira), às 18h30 / Visitação: 5 de dezembro de 2019 a 10 de janeiro de 2020 / Funcionamento: segunda a quinta-feira, das 13h às 19h (às sextas, de 12h às 18h) / Recesso: 23/12/2019 a 1/1/2020 / Galeria de Arte Ibeu, Rua Maria Angélica, 168 - Jardim Botânico / Tel. 3239-2863 / Entrada franca.

*****

Cinema Reserva Cultural / Niterói

Programação de 28/11 a 4/12

SALA 1

UM DIA DE CHUVA EM NY (94) – 14h – 16h10 – 18h20 – 20h30*

ROBERTO CARLOS EM JERUSALÉM 3D (AO VIVO) – 21h30 (Somente Seg.02/12)

*Sexta-feira 29/11 e 02/12 não haverá a sessão das 20h30

SALA 2

A GRANDE MENTIRA (109) – 13h30

UMA SEGUNDA CHANCE PARA AMAR (104) – 15h40 – 18h – 20h20*

*Sexta-feira 29/11 não haverá a sessão das 20h20

SALA 3

CARCEREIROS – O FILME (108) – 13h30 – 18h20

A ODISSÉIA DOS TONTOS (119) – 15h50 - 20h40*

*Sexta-feira 29/11 não haverá a sessão das 20h40

SALA 4

A VIDA INVISÍVEL (139) – 16h10 – 21h30

PARASITA (131) – 13h30 – 18h50

SALA 5

UMA - LUZ DOS HIMALAIAS (73) – 13h30 – 17h20

O AMANTE FRANCÊS (94) – 15h10 – 19h10

OS CARCEREIROS (108) – 21h10

ESTREIA: UMA SEGUNDA CHANCE PARA AMAR (Last Christmas) / Direção: Paul Feig / Elenco: Emilia Clarke, Henry Golding, Michelle Yeoh / País: EUA, Reino Unido / Ano: 2019 / Gênero: Comédia, Romance / Tempo: 104 min. / Classificação: 12 anos / Distribuição: Universal Pictures

Sinopse: Kate (Emilia Clarke) é uma jovem inglesa cuja vida é uma bagunça. Ela trabalha como elfo em uma loja temática de natal o ano todo. Quando ela conhece Tom (Henry Golding), o que parecia impossível se torna realidade, conforme o rapaz enxerga através de todas as barreiras que ela construiu.

Saiba mais: A história é inspirada na canção “Last Christmas”, de George Michael. Do mesmo diretor de Caça – Fantasmas (2016). A trilha sonora é composta majoritariamente por canções de George Michael. A banda Wham!, responsável pela canção "Last Christmas", doou os direitos ao uso da composição neste filme à luta contra a fome na Etiópia.

SERVIÇO: Cinema Reserva Cultural / Centro Petrobras de Cinema / Av. Visconde do Rio Branco, 880 - Bairro São Domingos – Niterói / Tel. 21 3811 8537 / Acessibilidade / Ar Condicionado / Som e Imagem Digital / Sala 1 – 196 lugares (contando com 3 Lug.Obesos / 5 Deficientes físicos) / Sala 2 – 149 lugares (contando com 1 Lug. Obeso / 3 Deficientes físicos) / Sala 3 – 113 lugares (contando com 1 Lug. Obeso / 3 Deficientes físicos) / Sala 4 – 82 lugares (contando com 1 Lug. Obeso / 3 Deficientes físicos) / Sala 5 – 84 lugares (contando com 1 Lug. Obeso / 3 Deficientes físicos) / Total: 624 lugares / Horário de funcionamento / Sessões de Segunda a domingo: 13h às 21h45 / Bilheteria: abertura 30 min. antes de primeira sessão. Preços Ingressos: Inteira: R$ 33 (3D : R$ 40) / Meia (Estudante): R$ 16,50 (3D : R$ 20) / De segunda a quinta: R$ 27 / R$ 13,50 (meia) [3D: R$ 32 (inteira)/R$ 16,00 (meia) / Quarta-feira: R$ 24 (inteira) / R$ 12 (meia) (3D : R$ 28 (inteira)/R$ 14,00 (meia). PROMOÇÕES: Inteira (2D): R$ 14, Meia (2D): R$ 7 / Inteira (3D): R$ 16, Meia (3D): R$ 8 / Crianças: até 3 anos – gratuito/ até 21 anos – meia-entrada. SITE.

*****