Samuel Wainer: a biografia definitiva do homem que revolucionou o jornalismo brasileiro

Ele testemunhou eventos decisivos do Brasil no século XX

Samuel Wainer (1912-1980) foi dos maiores nomes da imprensa brasileira de todos os tempos. Fundador do jornal Última Hora, transformou a indústria da notícia no país, em especial por meio da valorização profissional dos jornalistas, do design arrojado de suas publicações e de extrema sensibilidade às questões de um público antes não contemplado pelos noticiosos. 

Testemunha ativa de acontecimentos que moldaram o Brasil contemporâneo, Wainer despertava paixões e ódios na mesma medida. Professando a crença de que a imprensa deveria ter lado — no seu caso, o do trabalhismo —, enfrentou inimigos poderosos num contexto de extrema polarização ideológica, mas também foi amigo íntimo de presidentes, generais, ministros e empresários, relações das quais sempre soube tirar proveito.

Macaque in the trees
Samuel Wainer, o homem que estava lá, tem 576 páginas (Foto: Divulgação)

Com amparo em fontes diversas — muitas inéditas — e dezenas de entrevistas, Karla Monteiro procura equilibrar as ambivalências desse formidável personagem, e entrelaça a aventurosa e mundana biografia de Wainer às tramas secretas do poder entre a ditadura do Estado Novo e a alvorada da Nova República.

Karla Monteiro nasceu em Diamantina, Minas Gerais. Formou-se em jornalismo pela PUC-Minas, trabalhou nos jornais Estado de Minas, Folha de S.Paulo e O Globo e nas revistas Veja, TRIP/TPM, entre outras. É autora de Karmatopia: uma viagem à Índia e coautora de Sob pressão: a rotina de guerra de um médico brasileiro. Samuel Wainer: o homem que estava lá é seu primeiro livro pela Companhia das Letras.

ESTANTE

Samuel Wainer, O homem que estava lá / livro de Karla Monteiro / Companhia das LetrasNúmero de páginas: 576 / Tiragem: 6 mil / Preço: R$ 89,90 / E-Book: R$ 39,90



Samuel Wainer, o homem que estava lá, tem 576 páginas
Samuel Wainer, o homem que estava lá, tem 576 páginas