CADERNOB

Nos 470 anos de São Paulo, longas-metragens sobre a cidade e suas personagens

Os premiados 'São Paulo sociedade anônima', de Luiz Sergio Person, e 'São Paulo em hi-fi', de Lufe Steffen, entram no catálogo da plataforma digital do Itaú Cultural, dando luz à história da cidade, em perspectivas e momentos diferentes, e às personagens que nela habitam

Por CADERNO B
[email protected]

Publicado em 22/01/2024 às 17:22

Alterado em 22/01/2024 às 17:22

Walmor Chagas em 'São Paulo sociedade anônima' Foto: divulgação

Em celebração aos 470 anos da cidade de São Paulo, a Itaú Cultural Play coloca à disposição do público, a partir do dia 25 de janeiro (quinta-feira), os longas-metragens São Paulo Sociedade Anônima, de Luiz Sergio Person, e São Paulo em Hi-Fi, de Lufe Steffen. Assim como todas as obras disponibilizadas na plataforma de streaming, estas poderão ser acessadas gratuitamente.

"São Paulo sociedade anônima", lançado em 1965, tem como ponto de partida a maior e mais populosa metrópole da América Latina, também conhecida pelo desenvolvimento econômico e industrial que teve sua efervescência inicial em meados da década de 1950. Atento a este contexto, o diretor e roteirista paulistano Luiz Sergio Person (1936-1976) traz neste que é o seu primeiro longa-metragem um roteiro dramático com questionamentos acerca da relação sociedade-dinheiro.

'São Paulo em hi-fi' Foto: divulgação

Na história, o protagonista Carlos, interpretado pelo ator Walmor Chagas (1930-2013), vive um homem de classe média que procura se encaixar nos moldes de uma cidade que cresce e muda em um ritmo acelerado. Após assumir a gerência de uma empresa produtora de autopeças, ele ascende socialmente, mas não consegue encontrar satisfação em sua vida, e sua angústia é passada ao telespectador desde o início do filme.

A trajetória do personagem retrata a vida do homem comum, que precisa se adaptar à transformação do espaço urbano para sobreviver à dinâmica do capitalismo avançado. Consequentemente, perde sua humanidade e passa a fazer parte de uma engrenagem da sociedade industrial, que automatiza e oprime as pessoas. Destacam-se as atuações de Eva Wilma, Darlene Glória e Otello Zeloni, a montagem inventiva de Glauco Mirko Laurelli e a primorosa direção de Person, com ecos do neorrealismo e da nouvelle vague. O longa tornou-se um dos maiores clássicos da história do cinema brasileiro, recebeu diversos prêmios nacionais e internacionais, como o Prêmio de Público na 1ª Mostra Internacional do Novo Cinema, em Pesaro, na Itália, no mesmo ano de seu lançamento. Em 2015 foi eleito um dos 100 melhores filmes brasileiros pela Abraccine (Associação Brasileira de Críticos de Cinema).

Em 2016, Person foi homenageado no Itaú Cultural com uma Ocupação sobre sua vida e obra. A mostra reuniu inúmeros materiais selecionados em parceria com sua família, que abordaram sua trajetória desde a criação dos seus filmes, passando por projetos inacabados, além de sua carreira como ator e publicitário. Para saber mais, acesse www.itaucultural.org.br/ocupacao/person.

Noite LGBTQIAP+ paulistana
Já o documentário "São Paulo em hi-fi", de 2016, resgata um momento histórico da noite LGBTQIAP+ na capital paulistana, durante as décadas de 1960, 1970 e 1980. Através de imagens de arquivo e depoimentos de personalidades da época, como o escritor João Silvério Trevisan, o jornalista Leão Lobo e a drag queen Kaká di Polly, o diretor Lufe Steffen traz um recorte do que acontecia nas primeiras casas noturnas e boates de São Paulo, entre um período de ditadura militar e a redemocratização do Brasil.

O filme apresenta a luta por liberdade e direitos, enquanto expõe um país conservador, com o preconceito, o medo e o desconhecimento sobre o HVI e a AIDS. Integrou importantes festivais nacionais e internacionais, a exemplo do Festival Du Film Brésilien de Montreal, em 2018, e venceu diversas premiações, como o Prêmio Câmara Municipal de São Paulo – Dia Municipal de Combate à Homofobia.

SERVIÇO:
Estreias na IC Play – aniversário de São Paulo
A partir de quinta-feira, 25 de janeiro de 2024
Em www.itauculturalplay.com.br
Gratuito

"São Paulo sociedade anônima"
(São Paulo, 1965)
Direção: Luiz Sergio Person
Duração: 107 minutos
Elenco: Walmos Chagas, Eva Wilma, Darlene Glória, Otelo Zeloni e Ana Esmeralda
Classificação indicativa: para maiores de 12 anos (Linguagem depreciativa, violência, drogas lícitas e ilícitas)

"São Paulo em hi-fi"
(São Paulo, 2016)
Direção: Lufe Steffen
Duração: 100 minutos
Classificação indicativa: para maiores de 14 anos (Nudez, conteúdo sexual e linguagem imprópria)

Tags: