Funarte SP – ConectArte 2020 estreia com Arrigo Barnabé

Festival reúne doze atrações, entre espetáculos de teatro, dança e música e uma exposição, todas pela internet, sempre às 21h

Divulgação
Credit...Divulgação

A Fundação Nacional de Artes lança nesta terça (1) o Funarte SP – ConectArte 2020 Festival. Doze atrações, entre espetáculos de teatro, dança e música, e uma exposição de artes virtual – previamente gravadas – serão exibidas no canal da Funarte no Youtube, até dia 24 de dezembro, sempre às 21h. A abertura será feita pelo músico Arrigo Barnabé. Os vídeos ficarão disponíveis para o público. A última apresentação será na véspera de Natal, com o Coral Sinfônico Ravel – Villa-Lobos, da Associação Coral da Cidade de São Paulo e terá a presença do presidente da Fundação, Lamartine Holanda. Confira abaixo a programação.

Além dos espetáculos, o público poderá conhecer melhor os espaços da Funarte SP, onde serão realizadas as atrações. O Teatro de Arena Eugênio Kusnet e as salas Guiomar Novaes (música), Renée Gumiel (dança), Carlos Miranda (teatro), Sala Arquimedes (multiuso) serão apresentados por diretores e coordenadores da Funarte, na abertura e durante o projeto.

Outro destaque será a exposição virtual: Obras Clássicas Revisitadas, do artista plástico Antonio Peticov. Um vernissage transmitido diretamente de seu atelier contará com a presença de Andrea Paes, do Centro de Artes Visuais da Funarte, e do Coordenador de Difusão e Pesquisa do Centro de Programas Integrados, Pedro Paulo Malta e da Representante da Regional São Paulo, Ivone Francisco dos Santos.

 

Espetáculo musical: Arrigo Barnabé

O show apresenta o repertório do LP Clara Crocodilo, que completa 40 anos em 2020, além de outras canções marcantes da carreira de Arrigo Barnabé, como Suspeito (em parceria com H. Neder), Ano Bom (em parceria com L.Tatit) e Cidade Oculta (em parceria com E. Gudin e R. Riberti).

Sobre o artista

Arrigo Barnabé despontou na cena musical brasileira em 1979, no Festival Universitário da TV Cultura. Seu primeiro disco, Clara Crocodilo (1980), é considerado o marco inicial da Vanguarda Paulistana - movimento que também contou com a participação de Itamar Assumpção (e a banda Isca de Polícia), Grupo Rumo, Premeditando o Breque e Língua de Trapo. Outra referência de sua carreira é o LP Tubarões Voadores, de 1984, cuja faixa-título é baseada em uma história em quadrinhos de Luiz Gê. Músicas como Uga Uga (com participação de Eliete Negreiros e Vânia Bastos nos vocais) também se tornaram um sucesso de público e da crítica.

Arrigo criou trilhas sonoras para filmes brasileiros, colaborando com cineastas como Rogerio Sganzerla e Chico Botelho, e atuou na novela Direito de amar, 1987, ao lado de Tim Rescala. Também compôs operas (O Homem dos crocodilos, 22 antes e depois e Até que se apaguem os avisos luminosos), missas (Missa in-memoriam Arthur Bispo do Rosário, Missa in-memoriam Itamar Assumpção, Missa Nóia) e músicas para percussão e piano. Em 2019, lançou seu primeiro livro, No Fim da Infância (Grafatório Edições), obra autobiográfica que reúne memórias escritas para diversos veículos. Atualmente, apresenta o programa Supertônica na Rádio Cultura de São Paulo.

Ficha técnica:

Compositor e cantor: Arrigo Barnabé| Desenho de luz: Michelle Bezerra| Sistema musical interativo: Vitor Kisil| Operador e técnico de luz: Cesar Martini| Produção Executiva: Daniela Dezan.

LEIA AQUI A PROGRAMAÇÃO COMPLETA