Curtas-metragens animados brasileiros disponíveis no site do Itaú Cultural por um mês

Macaque in the trees
Menina da Chuva (Foto: Divulgação)

Durante 30 dias, da próxima segunda (27) a 27 de maio, o site do Itaú Cultural vai exibir a Mostra de Animação para Crianças (e todos os públicos), exibindo 10 títulos curtas-metragens de produção nacional. O público pode acessar Menina da Chuva, do Rio de Janeiro, Viagem na Chuva, de Goiás, Pra Ver Poesia, do Pará, Òrun Àiyé: a criação do mundo, da Bahia, Caminho dos Gigantes, de São Paulo, Lipe, vovô e o monstro, do Rio Grande do Sul, No caminho da escola, do Espírito Santo, Meu melhor amigo, de Minas Gerais, Vivi Lobo e o quarto mágico, do Paraná, e Quando a chuva vem?, de Pernambuco.

Em Menina da Chuva, dirigido por Rosária, discute questões como identidade e preconceito a partir da história da história de uma garotinha de cor diferente que sentia deslocada, pois não encontrava nada semelhante à sua tonalidade, até chover, e ela descobrir que a sua cor era a de um dia de chuva. Viagem na Chuva, de Wesley Rodrigues, dialoga com a estética do animador japonês Hayao Miyazaki, e utiliza de poesia ao comparar o circo e a chuva, traçando histórias paralelas e mostrando como ambos percorrem um longo caminho até seu lugar de destino.

Seguindo a trilha das histórias instigantes reunidas nesta mostra, que por vezes apresentam uma tradição ou cultura específicas do país, Caminho dos Gigantes, de Alois Di Leo, mostra uma floresta de árvores gigantes, onde uma menina indígena desafia o seu destino para entender o ciclo da vida. Òrun Àiyé: a criação do mundo, de Jamile Coelho e Cintia Maria, conta a trajetória de Oxalá, narrada por Carlinhos Brown, em sua missão para criar o mundo. Para Ver Poesia, de Andrei Miralha e Marcílio Costa, retrata o olhar da infância transformando poeticamente o mundo ao redor. Na história, um garoto usa a imaginação para compreender as coisas, criando um universo muito particular em que a poesia é a ferramenta de encantamento de sua realidade, na Amazônia

No enredo de Lipe, vovô e o monstro, de Felippe Steffens e Carlos Mateus, um menino vai passar o final de semana no sítio dos avós. Durante uma pescaria, ele conhece um segredo de seu avô, e acaba fazendo uma nova e inusitada amizade. No caminho da escola, dirigido por alunos do projeto de animação Instituto Marlin Azuluma, no trajeto entre a casa e o colégio uma menina faz uma viagem alucinante por planetas imaginários e acaba perdendo a primeira aula. Meu melhor amigo, de Laly Cataguases, mostra uma viagem poética, em que um solitário garoto dá vida ao seu melhor amigo imaginário.

Vivi Lobo e o quarto mágico, de Isabelle Santos e Edu M. Z. Camargo, narra a história da garota que dá nome ao filme. A personagem descobre uma porta mágica em seu quarto e começa a perceber dentro dela um processo de transformação que a fará enxergar a vida de maneira diferente. Por fim, Quando a chuva vem?, de Jefferson Batista, fala da seca que assolou o nordeste do Brasil entre os anos de 1979 e 1985 pelo ponto de vista de uma criança.

Com a programação suspensa desde o dia 17 de março em razão da pandemia do coronavírus, o Itaú Cultural tem intensificado a produção de materiais pensados para toda a família, ampliando a produção de conteúdo para diversos públicos, como podcasts, cursos de EAD e vídeos, no site e redes sociais da instituição e na Enciclopédia Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras.

SERVIÇO:

Mostra de Animação para Crianças (e todos os públicos) / De 27 de abril a 27 de maio, no site do Itaú Cultural / https://www.itaucultural.org.br / Classificação: Livre

Menina da Chuva

Direção: Rosária

Duração: 6 minutos

Origem: Rio de Janeiro (RJ)

Para Ver Poesia

Direção: Andrei Miralha e Marcílio Costa

Duração: 4 minutos

Origem: Belém (PA)

Viagem na Chuva

Direção: Wesley Rodrigues

Duração: 13 minutos

Origem: Goiânia (GO)

Òrun Àiyé: a criação do mundo

Direção: Jamile Coelho e Cintia Maria

Duração: 12 minutos

Origem: Salvador (BA)

Caminho dos Gigantes

Direção: Alois Di Leo

Duração: 12 minutos

Origem: São Paulo (SP)

Lipe, vovô e o monstro

Direção: Felippe Steffens e Carlos Mateus

Duração: 8 minutos

Origem: Porto Alegre (RS)

No caminho da escola

Dirigido por alunos do projeto de animação Instituto Marlin Azul

Duração: 9 minutos

Origem: Vitória (ES)

Meu melhor amigo

Direção: Laly Cataguases

Duração: 14 minutos

Origem: Belo Horizonte (MG)

Vivi Lobo e o quarto mágico

Direção: Isabelle Santos e Edu M. Z. Camargo

Duração: 13 minutos

Origem: Curitiba (PR)

Quando a chuva vem?

Direção: Jefferson Batista

Duração: 8 minutos

Origem: Carpina (PE)

Poetas surdos são o foco de edital de incentivo do Itaú Cultural

Desde o início da suspensão social decorrente da pandemia do coronavirus, o braço cultural do maior banco privado do país vem lançando editais de apoio àqueles que produzem arte e cultura, atualmente sujeitos a atuar isoladamente e sem remuneração. Reforçando o seu vínculo com artistas surdos e com deficiência auditiva, o próximo edital de Arte como Respiro se volta para o segmento da poesia surda. Os anteriores contemplaram projetos nas áreas de artes cênicas, música e artes visuais.

 

O Itaú Cultural dá continuidade à série de lançamentos de Arte como respiro: múltiplos editais de emergência com a abertura das inscrições de projetos para Poesia Surda, nesta segunda (27). Voltado exclusivamente para poetas surdos ou com deficiência auditiva, este edital recebe inscrições até as 23h59 (horário de Brasília) da sexta-feira, 1º de maio neste LINK.