Jornal do Brasil

CadernoB

CCBB Rio completa 30 anos com programação especial

Jornal do Brasil CADERNO B, cadernob@jb.com.br

O Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) Rio de Janeiro completa 30 anos neste sábado (12). Ao longo dos tempos, a instituição se tornou o espaço cultural mais visitado do Brasil, contabilizando mais de 2,5 mil projetos realizados nas áreas de artes visuais, cinema, teatro, dança, música e pensamento, e mais de 55 milhões de visitantes que passaram pelo prédio de linhas neoclássicas localizado no nº 66 da Rua Primeiro de Março.

Macaque in the trees
CCBB Rio (Foto: Reprodução do Facebook do CCBB Rio)

O CCBB RJ figura, desde 2011, na lista dos 100 museus mais visitados do mundo no ranking anual da “The Art Newspaper”, conceituada publicação britânica especializada em arte. Abriu suas portas como pioneiro no processo de revitalização do centro histórico da cidade do Rio de Janeiro.

Para celebrar a data mais que especial, uma programação de peso foi organizada para o mês. A começar pela exposição comemorativa “CCBB 30 Anos”, que ocupará o térreo, o segundo e o quarto andar da instituição. A mostra resgata a memória dos projetos realizados no local ao longo de três décadas (1989-2019), com a exibição de 54 cartazes de exposições, peças, mostras de cinema, exposições, ideias e shows de música exibidos no Centro Cultural e que marcaram a sua história. O material exposto cria uma atmosfera afetiva para envolver o público durante sua experiência em visita ao CCBB Rio de Janeiro.

Outra mostra, a ser inaugurada na grande festa do dia 12, é a inédita Egito Antigo – Do Cotidiano à Eternidade”, que por meio de um amplo panorama sobre o cotidiano, a religiosidade e os costumes ligados à crença na eternidade, oferece ao espectador uma viagem ao tempo dos faraós, através de esculturas, pinturas, objetos, sarcófagos, múmia, além de instalações cenográficas e interativas.

As artes cênicas lembram a efeméride com “CCBB: 30 Anos de Companhias”, que apresenta espetáculos de alguns dos grupos teatrais que, por sua importância no cenário cultural brasileiro, aliam suas trajetórias à do CCBB: Cia PeQuod, Cia Dos à Deux, Artesanal Cia de Teatro, Cia dos Atores e Aquela Cia de Teatro.

Na música, o aniversário será festejado, entre outras programações, com o Madrugada no Centro, que faz três dias de shows e atividades para todos os públicos, de sexta a domingo (18 a 20), em diversos horários, e tem como destaque Diogo Nogueira. O Madrugada no Centro acontece na área externa do CCBB e privilegia as mais diversas formas de sonoridades brasileiras. As atividades diurnas são gratuitas.

O CCBB Educativo preparou um roteiro especial. O programa conta com oficina para bebês a partir de quatro meses de idade, que além de atividades realizadas no laboratório construído para a atividade. Haverá o baile Arrastapezinho e também contaçao de historias. E já que 12 de outubro também é Dia da Criança, a meninada será recebida com um lanche da tarde, com guaraná natural, algodão doce e bolo.

Além do diverso programa cultural, a comemoração conta ainda com parceria inédita com a Casa da Moeda que lança medalha comemorativa que pode ser adquirida a partir de outubro no site (AQUI) ou no Museu da Casa da Moeda. As medalhas recebem acabamento em ouro, prata e bronze.

Toda a programação do dia 12 será gratuita.

Mais sobre a história do CCBB Rio

Ao trazer uma maratona de atividades sobre Machado de Assis, o CCBB deu seus primeiros passos e assim se destacou no cenário cultural brasileiro. Vinícius de Moraes, Iberê Camargo e Miró foram alguns dos nomes escolhidos para dar continuidade a uma programação selecionada. Mas foram projetos como ‘Arte da África’, ‘Surrealismo’, ‘Paris 1900’, ‘Rembrandt’, ‘Andy Warhol’, ‘Escher’, ‘Salvador Dali’, ‘Impressionismo’ e ‘Pablo Picasso’ que o tornaram também referência turística da cidade e do país.

Sempre promovendo a cultura brasileira, também receberam destaques nesta história nomes importantes como Waltércio Caldas, Beatriz Milhazes, Tarsila do Amaral, Anita Malfati, Regina Silveira, Rosângela Rennó, Ismael Nery, Guilherme Vaz, Abraham Palatnik, Cícero Dias, Iole de Freitas, Milton Machado, entre tantos outros. Segundo a revista ‘The Art Newspaper’, o CCBB é a única instituição do Rio de Janeiro e a primeira do país a ocupar um lugar na lista dos 100 museus mais visitados do mundo. Em 2014, o CCBB bateu seu recorde de visitação.

Em 100 dias úteis, mais de 970 mil pessoas estiveram no prédio para conhecer as 150 peças que proporcionaram uma viagem pelo universo onírico do mestre do surrealismo Salvador Dalí. Desde sua inauguração, o maior público da instituição foi para a exposição ‘Aleijadinho e Seu Tempo: Fé, Engenho e Arte’, que, em 2006, reuniu 969 mil visitantes.

À medida que ampliava seu público, o Centro Cultural viu nascer projetos de cinema pioneiros e ousados que, posteriormente, entrariam para o calendário cultural da cidade, como é o caso do Anima Mundi, É Tudo Verdade, Curta Cinema, Mostra do Filme Livre e Ver Ciência.

Reunindo teatro, cinema, exposições, espetáculos musicais e eventos literários, num único espaço de 1.400 m² de área passou a grande maioria dos artistas brasileiros e nomes consagrados da arte mundial.

Em seus palcos, Tom Jobim fez uma de suas últimas gravações. Para seus auditórios, multidões foram atraídas por nomes como Jorge Amado, Gabriel García Marquez e Jean Baudrillard. Gerações de cinéfilos e críticos foram formadas em suas salas de cinema e de vídeo. No teatro, de tudo foi apresentado: do off-Broadway ao clássico. Com estas três décadas, o CCBB teve em sua programação a presença de personalidades nacionais como Chico Buarque, Fernanda Montenegro, Regina Duarte, Cleyde Yáconis, Nicette Bruno, Nathália Timberg, Gilberto Gil, Wanderléia, Monarco, Erasmo Carlos, Paulinho da Viola, Tom Zé e Roberto Menescal.

Arquitetura

O edifício de linhas neoclássicas, que desde 1989 abriga o CCBB Rio, foi projetado pelo arquiteto do Império, Francisco Joaquim Bethencourt da Silva, e inaugurado em 1906 como sede da Associação Comercial. Entre as décadas de 1920 e 1960, foi a sede do Banco do Brasil, até sua transferência para Brasília.

A criação do CCBB RJ, além de pioneira no processo de revitalização do centro histórico da cidade do Rio de Janeiro, resgatou o valor simbólico e arquitetônico do prédio, com um processo de adaptação que preservou o requinte das colunas, dos ornamentos, do mármore que sobe do foyer pelas escadarias, e retrabalhou a cúpula sobre a rotunda.

Espaços

O CCBB Rio reserva mais de 1.400 m² de área para a realização de exposições, duas salas de cinema, três teatros e um auditório para palestras. No térreo encontram-se o restaurante Lilia, a Bomboniere Lilia Café, a Livraria da Travessa. A tradicional Confeitaria Colombo abriu as portas em 2017 no 2º andar.

SERVIÇO: CCBB-Rio 30 Anos / Rua Primeiro de Março, 66, Centro, Rio de Janeiro / Horário de funcionamento: de quarta a segunda, das 9h às 21h / Informações: 21 3808 2020. SITE